comunique se.com

Posted: October 22, 2018 in comunicação, comunique se, jornalismo


O ponto de encontro da comunicaçãoPortal Comunique-se - Clique para Mostrar Imagens
DECLARAÇÃO

“Jornalismo nunca foi tão necessário”

É o que afirma conselheiro da Unesco. Leia mais…

Guia
Dicas para gastar pouco com TV Corporativa
Eleições
TSE não vê privilégios em entrevistas de Bolsonaro
Audiovisual
Administradora de recursos quer investir em projetos
Opinião
Não falo mais nada – por Marli Gonçalves

Advertisements

Religião Liturgia Diária
Dia 22 de Outubro – Segunda-feira
XXIX SEMANA DO TEMPO COMUM (Verde – Ofício do Dia)

Antífona de Entrada Clamo por vós, meu Deus, porque me atendestes; inclinai vosso ouvido e escutai-me. Guardai-me como a pupila dos olhos, à sombra das vossas asas abrigai-me (Sl 16,6.8).

Oração do dia Deus eterno e todo-poderoso, dai-nos a graça de estar sempre ao vosso dispor e vos servir de todo o coração. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Leitura (Efésios 2,1-10) Leitura do livro da carta de são Paulo aos Efésios.
2 1 E vós outros estáveis mortos por vossas faltas, pelos pecados
2 que cometestes outrora seguindo o modo de viver deste mundo, do príncipe das potestades do ar, do espírito que agora atua nos rebeldes.
3 Também todos nós éramos deste número quando outrora vivíamos nos desejos carnais, fazendo a vontade da carne e da concupiscência. Éramos como os outros, por natureza, verdadeiros objetos da ira (divina).
4 Mas Deus, que é rico em misericórdia, impulsionado pelo grande amor com que nos amou,
5 quando estávamos mortos em conseqüência de nossos pecados, deu-nos a vida juntamente com Cristo – é por graça que fostes salvos! -,
6 juntamente com ele nos ressuscitou e nos fez assentar nos céus, com Cristo Jesus.
7 Ele demonstrou assim pelos séculos futuros a imensidão das riquezas de sua graça, pela bondade que tem para conosco, em Jesus Cristo.
8 Porque é gratuitamente que fostes salvos mediante a fé. Isto não provém de vossos méritos, mas é puro dom de Deus.
9 Não provém das obras, para que ninguém se glorie.
10 Somos obra sua, criados em Jesus Cristo para as boas ações, que Deus de antemão preparou para que nós as praticássemos.
Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial 99/100
O Senhor mesmo nos fez e somos seus.
Aclamai o Senhor, ó terra inteira,
Servi ao Senhor com alegria,
Ide a ele, cantando jubilosos!

Sabei que o Senhor, só ele, é Deus,
Ele mesmo nos fez, e somos seus,
Nós somos seu povo e seu rebanho.

Entrai por suas portas dando graças
E em seus átrios com hinos de louvor,
Dai-lhe graças, seu nome bendizei!

Evangelho (Lucas 12,13-21) Aleluia, aleluia, aleluia.
Felizes os humildes de espírito, porque deles é o reino dos céus (Mt 5,3).
Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas.
Naquele tempo, 12 13 disse-lhe então alguém do meio do povo: “Mestre, dize a meu irmão que reparta comigo a herança”.
14 Jesus respondeu-lhe: “Meu amigo, quem me constituiu juiz ou árbitro entre vós?”
15 E disse então ao povo: “Guardai-vos escrupulosamente de toda a avareza, porque a vida de um homem, ainda que ele esteja na abundância, não depende de suas riquezas”.
16 E propôs-lhe esta parábola: “Havia um homem rico cujos campos produziam muito.
17 E ele refletia consigo: ‘Que farei? Porque não tenho onde recolher a minha colheita’.
18 Disse então ele: ‘Farei o seguinte: derrubarei os meus celeiros e construirei maiores; neles recolherei toda a minha colheita e os meus bens.
19 E direi à minha alma: ó minha alma, tens muitos bens em depósito para muitíssimos anos; descansa, come, bebe e regala-te’.
20 Deus, porém, lhe disse: ‘Insensato! Nesta noite ainda exigirão de ti a tua alma. E as coisas, que ajuntaste, de quem serão?’
21 Assim acontece ao homem que entesoura para si mesmo e não é rico para Deus”.
Palavra da Salvação.

Comentário ao Evangelho O RICO INSENSATO
O discípulo do Reino é instruído para se portar com liberdade diante dos bens deste mundo, para não correr o risco de cair na idolatria. A relação incorreta com as criaturas tende a levá-los a um comportamento errôneo em relação aos irmãos: coisificar as pessoas e tiranizá-las sem piedade, por absolutizar as riquezas. Por isso, Jesus denunciava energicamente a insensatez dos ricos. Alertava seus discípulos contra a avareza, insistindo para que não contassem com a abundância de bens como fator de segurança e felicidade. E isto na tentativa de levá-los a se manterem imunes contra a idolatria da riqueza.
A parábola do rico avarento apresenta uma atitude que todo discípulo deve evitar. O homem rico fechou-se na sua ganância de acumular, esquecendo-se de Deus e de seus irmãos. Não nutria nenhum desejo de partilhar, mas só de acumular. Quanto mais tinha, tanto mais queria ter. As necessidades dos outros não contavam. Pensava tão-somente em encontrar conforto e fartura para si mesmo, e assim, poder descansar tranqüilo uma vez que tinha garantido para si uma vida abastada.
Ele, porém, não contou com a morte, quando seria chamado a prestar contas a Deus. Só então, haveria de aparecer a total pobreza em que vivia, pois, faltando-lhe o amor, faltava-lhe tudo. Tendo acumulado só para si mesmo, acabou na mais total pobreza diante de Deus.
Oração
Senhor Jesus, que as riquezas deste mundo jamais polarizem meu coração, impedindo-me de viver o amor que sabe partilhar.
(O comentário do Evangelho é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado neste Portal a cada mês)
Sobre as Oferendas Dai-nos, ó Deus, usar os vossos dons servindo-vos com liberdade, para que, purificados pela vossa graça, sejamos renovados pelos mistérios que celebramos em vossa honra. Por Cristo, nosso Senhor.
Antífona da Comunhão O Filho do Homem veio dar a sua vida para a salvação dos homens (Mc 10,45).
Depois da Comunhão Dai-nos, ó Deus, colher os frutos da nossa participação na eucaristia para que, auxiliados pelos bens terrenos, possamos conhecer os valores eternos. Por Cristo, nosso Senhor.

aplb manifesto

Posted: October 21, 2018 in ação social, cidadania, DIREITO _, educação

MANIFESTO DOS EDUCADORES BAIANOS EM DEFESA DA DEMOCRACIA
Nós, educadores baianos, vimos a público manifestar nossa grande preocupação com os destinos do nosso país e da nossa gente. Como educadores que somos, cujo papel fundamental é mediar conhecimento, na busca da construção de novos saberes, temos que ter posição firme e coerente!
O Brasil já amarga grandes problemas econômicos, políticos, institucionais e sociais. O povo brasileiro vem sofrendo derrotas sucessivas! Essa situação foi instalada quando o poder central foi tomado de assalto por golpistas, que vêm rasgando a Constituição Brasileira, resultando na retirada de direitos dos trabalhadores, no aumento do desemprego, no aprofundamento das desigualdades, na dilapidação das lucrativas estatais e das nossas riquezas naturais, sendo a mais grave, a venda a “preço de banana” do Pré-Sal – considerado a maior reserva de petróleo do mundo – para petroleiras internacionais, promovendo incalculáveis prejuízos para a economia brasileira e cujos royalties seriam investidos na educação e saúde.
Após o golpe congelaram por vinte anos os gastos públicos, por meio da EC95/2016, trazendo consequências desastrosas para a educação, num flagrante desrespeito à Lei de Diretrizes e Bases da Educação – LDB – e o Plano Nacional de Educação – PNE. Outros ataques à educação foram: as reformas do Ensino Médio e da Base Nacional Comum Curricular – BNCC, que trazem características excludentes, pois não atendem aos interesses e às necessidades da sociedade.
O Brasil tem hoje um governo submisso às grandes potências estrangeiras e vem concentrando mais riqueza para uma ínfima minoria (1% da população) e mais pobreza e fome para a maioria. Não merecemos isso!
Entretanto, o povo brasileiro terá a oportunidade de mudar essa realidade voltando às urnas para escolher o novo presidente!
A disputa está entre dois candidatos com características completamente antagônicas!
De um lado, Fernando Haddad, advogado e professor de ciência politica da USP e sua vice, Manuela D’Ávila, jornalista, propõem uma “verdadeira refundação democrática do Brasil para recuperar a soberania nacional e popular, atingidas duramente a partir do golpe de 2016”.
Do outro lado, Jair Bolsonaro – um capitão de reserva e o seu vice, Hamilton Mourão, general da reserva, defendem, juntos, um programa antinacional, antipopular, com claras referências fascistas, ao defender as torturas praticadas durante a ditadura militar. Seu programa de governo traz um pacote de maldades até mesmo mais agressivas que as de Temer. Candidatos que pretendem “expurgar” as ideias do educador, pedagogo e filósofo Paulo Freire – reconhecido internacionalmente e declarado, por lei, como Patrono da Educação Brasileira – referindo-se aos seus ensinamentos como uma “ideologia de má influência”;
ENTENDENDO QUE:
temos responsabilidade com o futuro da nossa nação, com a vida do nosso povo, especialmente com as crianças e jovens de hoje e das gerações futuras,
a vida deve ser preservada e que repudiamos qualquer incitação à violência, seja cultural, intelectual, física ou moral,
é nossa missão defendermos enfaticamente a liberdade de pensar e agir, desde que não esqueçamos que sempre há o outro (de quem somos o outro),
para que cumpramos a missão a nós delegada, pela sociedade, quando escolhemos a função de professores, uma missão para a qual é fundamental estarmos convictos de que somos mediadores entre o sujeito e o conhecimento…
…não podemos nos esquecer das lições de Paulo Freire. Ele nos deixou claro que o nosso papel não pode se reduzir a depositar informações nos alunos, mas propor situações para que seja estimulado o desenvolvimento da criticidade, para que também eles sejam autores, protagonistas de ações por um mundo mais justo e mais humano. Um mundo onde a diversidade seja respeitada, onde a igualdade de oportunidades elimine privilégios de uma casta sobre os demais.
Assim é que, considerando que o papel de professor pressupõe uma relação dialógica, onde, num encontro democrático e afetivo todos podem se expressar, reafirmamos, aqui, a nossa responsabilidade, diante dos nossos educandos, de defendermos veementemente os princípios que norteiam a concepção de aprendizagem postulada pelos grandes mestres em educação.
POR QUE SABEMOS QUE:
para propiciar no espaço escolar um encontro entre o imaginário e o real, entre a teoria e a prática, entre a ciência e a ignorância, entre emoção e razão, e deste modo mostrar aos nossos alunos como é empolgante e maravilhoso se apropriar do conhecimento;
para que nossos alunos possam aprender a pensar e questionar, e, deste modo, possamos contribuir na formação da cidadania das nossas crianças e jovens;
nossas ações em sala de aula devem ser norteadas pelo exercício da liberdade e da democracia, o que só poderemos conseguir através de uma proposta educacional coerente e avançada.
Portanto, diante da polaridade em que nos encontramos neste momento crucial de eleição presidencial, não podemos nos omitir. Precisamos estar cientes e declararmos que TEMOS LADO, SIM!
O lado de um projeto de governo que restabeleça o estado democrático de direito, fazendo nosso país voltar a ser respeitado internacionalmente.
O lado da democracia em que O VOTO, em oposição à restrição de direitos, representa o desejo e a necessidade da maioria.
Salvador, 14 de outubro de 2018.
VIVA A DEMOCRACIA!
APLB-SINDICATO DOS TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO DO ESTADO DA BAHIA
*Contatos: Rui Oliveira 719 9962-6598 Marilene Betros 719 8232-2271 Elza Melo 719 8201-0430


15 a 19/10 – Embrapa promove Curso Nacional de Produção de Mandiocaa>
Léa Cunha
Embrapa promove Curso Nacional de Produção de Mandioca
Tem início no dia 15 de outubro o Curso Nacional de Produção de Mandioca, organizado pela Embrapa Mandioca e Fruticultura (Cruz das Almas, BA), Unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Embrapa, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.
O treinamento, que é destinado a produtores, cooperados, alunos, professores, instituições governamentais e não governamentais e agentes de assistência técnica e extensão rural (Ater), tem por objetivo a capacitação dos participantes em técnicas recomendadas de manejo e produção na cultura da mandioca. Segundo o pesquisador e coordenador do evento, Joselito Motta, o objetivo do curso é, além de formar multiplicadores, “capacitar os participantes não só para a assistência técnica, mas como a condução de cultivo e empresarial da lavoura”.

Programação
Manejo, cultivo, identificação, manejo e combate a pragas e doenças, melhoramento genético da raiz e conservação do solo são alguns dos assuntos do conteúdo programático do curso.
Os instrutores e palestrantes do curso são pesquisadores e técnicos da Unidade, além de participações de instituições parceiras, como a Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), Cooperativa de Produtores Rurais de Presidente Tancredo Neves (Coopatan), Fundação Arthur Bernardes (Funarbe), Agropecuária Milênio e Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR).
Além das instruções teóricas, que vão acontecer no auditório da Embrapa Mandioca e Fruticultura, o curso contará com visitas técnicas na região. Na comunidade do Cadete, os participantes vão conhecer a Unidade de Processamento de Beijus. Haverá também uma visita ao Mercado Municipal de Cruz das Almas; e ao final, na própria Embrapa Mandioca e Fruticultura, conhecerão os equipamentos para produção de farinha e fécula, no Centro de Tratamento de Mandioca (CTM).
Mais informações pelo telefone (75) 3312-8144 ou e-mail cnpmf.inscricao@embrapa.br. O folder está disponível no endereço https://bit.ly/2Lj0jSm
Serviço:
Evento: Curso Nacional de Produção de Mandioca
Período: 15 a 19/10
Local: Embrapa Mandioca e Fruticultura (Cruz das Almas, BA)
Número de vagas: 30
Público-alvo: produtores, cooperados, técnicos da iniciativa privada, estudantes, professores e agentes de assistência técnica (Ater).
Valor da inscrição: R$ 350,00 (trezentos e cinquenta reais)
Programação: https://bit.ly/2Lj0jSm
Informações: telefone (75) 3312-8144 ou e-mail cnpmf.inscricao@embrapa.br
Texto: Caio Batista (estagiário)
Léa Cunha (DRT-BA 1633)
Embrapa Mandioca e Fruticultura
Telefone: (75) 3312-8076 Fax: (75) 3312-8015
E-mail: mandioca-e-fruticultura.imprensa@embrapa.br

Léa Cunha, Jornalista
Comunicação Organizacional / Assessoria de Imprensa
Embrapa Mandioca e Fruticultura
Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa)
Cruz das Almas / BA
http://www.embrapa.br/mandioca-e-fruticultura | www.facebook.com/EmbrapaMandiocaeFruticultura
http://www.embrapa.br | fb.com/embrapa | twitter.com/embrapa
E-mail: lea.cunha@embrapa.br
Telefone: +55 (75) 3312-8076  Fax: +55 (75) 3312-8097

Posted: October 11, 2018 in Uncategorized

Comentários
Laide Lima
Laide Lima O Presidente Temer está tranquilamente tomando sol na praia, quando uma bela senhora se aproxima:– Olá, presidente o que o senhor faz por aqui? O Presidente, querendo mostrar que também pode ter veia poética, responde com ar conquistador:– Roubando raios de sol…A mulher, sorrindo e balançando a cabeça diz:– Ah…senhor, Presidente Michel Temer, sempre trabalhando!
Laide Lima
Laide Lima MICHEL TEMER e ROMERO JUCÁ analisam uma proposta de negociata em Brasília. São muito milhões em jogo. Um deles pergunta:— Quanto nos dariam por isso?— Num país sério, nos dariam uns 80 anos, eu acho
Laide Lima
Laide Lima FHC, Temer e Joesley entram no banheiro e fazem confissões: FHC diz: O triplex em PARIS é meu! .Michel Temer diz: O Diretor da Polícia Federal vai arquivar o inquérito contra mim, beneficiado a empresa Rodrimar, que opera no Porto de Santos ! Joesley morrendo de rir diz: Estou gravando e sou o maior fofoqueiro!
Laide Lima
Laide Lima Michel Temer (PMDB-SP) entra numa igreja e escuta o pastor falando: -Sai Satanás, sai!. O Michel Temer (PMDB-SP) se irrita e diz: – Já to indo embora e não volto mais!
Laide Lima
Laide Lima O presidente Michel Temer resolveu fazer uma pesquisa, manda um de seus assessores ver como esta sua popularidade, depois de um certo tempo seu assessor volta com o resultado da pesquisa: –Senhor presidente encontramos dois tipos de opinião, uns estão otimistas outros pessimistas, a quem ache que se continuar assim vamos acabar comendo merda! -e os otimistas? pergunta Temer.-esses são os otimistas, os pessimistas acham que a merda não vai dar pra todo mundo!
Laide Lima
Laide Lima PARAÍSO FISCAL do PSDB e as NOTAS FRIAS o empresário e Deputado Marcio Fortes PSDB é um dos 8 mil brasileiros que mantiveram contas secretas no HSBC, influente deputado federal, ele chegou a ter três contas no paraíso fiscal – uma delas com US$ 2,4 milhões, mas não declarou bens ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RJ). Ele foi a pessoa física que mais doou ao seu partido PSDB. Durante a campanha à Presidência, o então tesoureiro Deputado Marcio Fortes PSDB usou notas frias e o PSDB chegou a ser multado em R$ 7 milhões

moc

Posted: October 6, 2018 in Uncategorized

Nº 613 : 02 de outubro de 2018 :  Feira de Santana-BA
GÊNERO
“O MOC nos ensina a ser Resistente”! Seminário refletiu sobre a Participação das Mulheres na Política
“Lugar de Mulher é onde ela quiser inclusive na Política”. Essa afirmação embala a crença que as mudanças necessárias e justas para este país serão através mulheres, além de firmar suas lutas por direitos, liberdade, equidade de gênero e proporcionar momentos de partilharem experiências, unirem forças, sonhos e rebeldias contra o sistema capitalista, opressor e antidemocrático ao qual o Brasil vive. E em mais um espaço mulheres dos Territórios da Bacia do Jacuípe, Portal do Sertão e Sisal refletiram e debateram durante Seminário Inter territorial sobre a Participação das Mulheres na Política, na terça-feira (25) de setembro, que seguiu com o propósito de construir estratégias de fortalecimento das mulheres na política, ao modo que elas possam interferir na elaboração de proposta com candidatas que se comprometem com garantia dos direitos das mulheres e superação das desigualdades de gênero. A atividade faz parte das ações do Movimento de Organização Comunitária (MOC) em parceria com Actionaid Brasil que comunga da defesa dos direitos humanos, como os das mulheres. “Não, a tudo que possa ferir a nossa dignidade de pessoas humanas. Vamos à luta contra o fascismo, contra o ódio e a favor da vida”, salientou Vandalva Oliveira (Coordenadora Pedagógica do MOC) dando as boas vindas as participantes do Seminário, que deu início com uma mística que retratou a resistência e força das mulheres sobre as mazelas que tentam predominar na vida do povo, como racismo, homofobia, machismo e o fascismo.Leia matéria completa no site do MOC.

 AGRICULTURA FAMILIAR E ECONOMIA SOLIDÁRIA
Feira da Agricultura Familiar e Economia Solidária aconteceu cheia de lindezas na sua 3ª Edição em Araci
A Feira da Agricultura Familiar e Economia Solidária que aconteceu em sua 3ª Edição, na última quinta-feira no município de Araci, caracteriza-se como mais que um espaço de comercialização de produtos oriundos das mãos do homem e da mulher do campo, mas como uma oportunidade de compartilhar os fazeres, saberes e sabores de agricultores/as e produtores e na sua relação com os visitantes/consumidores, além de mostrar a resistência e valorização da agricultura familiar e economia solidária diante do contexto atual. A Feira foi de inciativa da Associação dos Agricultores Familiares do Município APAEB/Araci, que contou com algumas parcerias, a exemplo do Movimento de Organização Comunitária (MOC). “A Feira é também um espaço de resistência e valorização da agricultura familiar”, disse Ana Dalva que representou a entidade na saudação da Feira. E dentro dos encantos de um Feira como essa não poderia faltar muita animação nas apresentações culturais, como o Zé Repentista e Reisado da comunidade Malhada da Areia, teve também oficinas temáticas Desigualdades de Gênero, Sementes Crioulas, Práticas de Produtos Naturais da Caatinga e Segurança Alimentar e Nutricional junto a Comercialização Institucional, ambas realizadas por membros da equipe do MOC, teve ainda Esclarecimento do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (PRONAF) e da Declaração de Aptidão ao PRONAF (DAPs).
Leia matéria completa no site do MOC.
RODAS DE CONVERSAS
Roda de conversa sobre Desigualdade de Gênero, Violência contra as Mulheres e Divisão Justa do Trabalho aconteceu em Araci</strong
Para refletir com homens e mulheres sobre os padrões culturais que provocam as desigualdades de gênero, buscando a construção de mudanças de comportamentos com estratégias de enfrentamento a todas as formas de violência contra as mulheres, o Movimento de Organização Comunitária (MOC), através de seu Programa de Gênero (PGEN), realizou no dia (27) de setembro, no município de Araci, uma Roda de Conversa Municipal sobre violência contra meninas e mulheres e os mecanismos de proteção envolvendo Homens e Meninos. A atividade foi mediada pela técnica do MOC/PGEN Ádila da Mata, com a contribuição do professor do IFBA Baiano de Serrinha Davi Abuhlamaad, nos momentos de discussões sobre entendimentos sobre gênero, questionando as diferenças existentes no ser homem e ser mulher e as imposições da sociedade do que cada um/a pode ou não fazer, bem como teve um espaço para alfinetar e proporcionar debate com o porquê falar da Divisão Justa do Trabalho Doméstico, diante de uma cultura social que diz ser feita naturalmente por mulher e ser absurdo homem fazer. “Temos que parar de pensar que existem coisas de homens e outras para mulheres, vai depender do querer fazer, pela vontade de cada um, isso é imposto pela sociedade machista e precisamos desconstruir”, enfatizou o Professor Davi. A programação também foi em volta das tipologias da violência contra as mulheres e quais os mecanismos de proteção e prevenção, além de construir em grupos ideias para caminhos de superação das desigualdades sociais e de enfrentamento a Violência contra as Mulheres. Leia matéria completa no site do MOC.
PREMIAÇÃO DO CONSULADO MULHER
Grupo Mulheres de Fibras recebeu premiação do Consulado Mulher em São Paulo
“Mais uma vitória do grupo Mulheres de Fibra com recebimento do Prêmio Consulado da Mulher em São Paulo”, salientou Valmira Lopes uma das fundadoras do grupo, que recebeu a Premiação no dia 26 de setembro, junto com a produtora Lilian de Jesus, o grupo é do município de Santaluz. Esse é mais um exemplo de conquista vinda com muita luta, resistência e insistência na força da mulher, por mais direitos e igualdade neste país. O grupo de produção trabalha na linha do artesanato de sisal, também do beneficiamento de produtos como as hortaliças, a produção alimentícia, como sequilhos, beiju, bolos, a farinha de tapioca, a polpa de frutas da época, sem contar também que todas as produtoras desenvolvem a cultura do milho e do feijão em suas comunidades. E faz parte da Cooperativa Rede de Produtoras da Bahia (COOPEREDE) assessorada pelo Movimento de Organização Comunitária (MOC). Em sua 6ª edição o Prêmio é uma iniciativa do instituto consulado da mulher, ação social da CONSUL, que apoia o empreendedorismo feminino e a geração de renda, que neste ano de 2018, está contemplando 10 empreendimentos de todo Brasil, entre eles o Mulheres de Fibras recebeu capacitação técnica com duração de cinco dias para o técnico que acompanha, como uma noite de beleza, bem como os benefícios na área de eletrodomésticos e ajuda em dinheiro para a reforma do espaço do empreendimento.
AGRICULTURA FAMILIAR
MOC participou da Feira da Agricultura Familiar realizada em comunidade de Cansanção
A comunidade de Lagoa da Baixa, por meio da Associação local de Pequenos Agricultores/as e do grupo de mulheres Lavadoras Unidas, do município de Cansanção, realizou nos dias 22 e 23 de setembro, a 6ª edição da Feira da Agricultura Familiar, contando com a parceria o Movimento de Organização Comunitária (MOC) e outros apoios na realização da Feira, como ASCOOB, Sindicato dos Trabalhadores/as Rurais (SINTRAF – Cansanção), UAPAC Humanas Brasil e gestão municipal através da Secretaria de Agricultura. A comunidade integra o projeto Bahia Produtiva desenvolvido pelo MOC na região. A programação estava recheada de encantos, trocas de saberes, fazeres e muita diversão, pois além da exposição e comercialização de uma diversidade de produtos da agricultura familiar, entre esses sabores, cores e aromas, tiveram apresentações culturais, shows musicais, prosa sobre projetos da comunidade, futebol e estandes de visitação. O MOC esteve presente através da técnica Renilda Santos e do técnico Alexandre Nepomuceno que fazem parte do Programa de Fortalecimento de Empreendimentos Econômicos Solidários (PFEES) e por meio de exibição em um estande, mostrou em vários feitos um pouco de sua história de mais de 50 anos na insistência Por Um Sertão Justo.
Visite-nos nas redes sociais:
Facebook do MOC
Site do MOC
#2018MOCMaisde50anos
#PorUmSertaoJusto
* Caso não queira receber nossos emails, 
clique aqui


RELIGIÃO LITURGIA DIÁRIA
Dia 6 de Outubro – Sábado
XXVI SEMANA DO TEMPO COMUM
(Verde – Ofício do Dia)

Antífona de Entrada
Senhor, tudo o que fizestes conosco com razão o fizestes, pois pecamos contra vós e não obedecemos aos vossos mandamentos. Mas honrai o vosso nome, tratando-nos segundo vossa misericórdia (Dn 3,31.29s.43.42).

Oração do dia
Ó Deus, que mostrais vosso poder sobretudo no perdão e na misericórdia, derramai sempre em nós a vossa graça, para que, caminhando ao encontro das vossas promessas, alcancemos os bens que reservais. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Leitura (Jó 42,1-3.5-6.12-16) Leitura do livro de Jó.
42 1 Jó respondeu ao Senhor nestes termos:
2 “Sei que podes tudo, que nada te é muito difícil.
3 Quem é que obscurece assim a Providência com discursos ininteligíveis? É por isso que falei, sem compreendê-las, maravilhas que me superam e que não conheço.
5 Meus ouvidos tinham escutado falar de ti, mas agora meus olhos te viram.
6 É por isso que me retrato, e arrependo-me no pó e na cinza”.
12 O Senhor abençoou os últimos tempos de Jó mais do que os primeiros, e teve Jó quatorze mil ovelhas, seis mil camelos, mil juntas de bois e mil jumentas.
13 Teve também sete filhos e três filhas:
14 chamou a primeira Jêmina, a segunda Quetsia e a terceira Queren-Hapuc.
15 Em toda a terra não poderiam ser encontradas mulheres mais belas do que as filhas de Jó. E seu pai lhes destinou uma parte da herança entre seus irmãos.
16 Depois disso, Jó viveu ainda cento e quarenta anos, e conheceu até a quarta geração dos filhos de seus filhos.
Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial 118/119
Fazei brilhar vosso semblante ao vosso servo
E ensinai-me vossas leis e mandamentos.

Dai-me bom senso, retidão, sabedoria,
Pois tenho fé nos vossos santos mandamentos!

Para mim foi muito bom ser humilhado,
Porque assim eu aprendi vossa vontade!

Sei que os vossos julgamentos são corretos,
E com justiça me provastes, ó Senhor!

Porque mandastes, tudo existe até agora;
Todas as coisas, ó Senhor, vos obedecem!

Sou vosso servo: concedei-me inteligência,
Para que eu possa compreender vossa aliança!

Vossa palavra, ao revelar-se, me ilumina,
Ela dá sabedoria aos pequeninos.

Evangelho (Lucas 10,17-24)
Aleluia, aleluia, aleluia.
Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, pois revelaste os mistérios do teu reino aos pequeninos, escondendo-os aos doutores! (Mt 11,25).

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas.
Naquele tempo, 10 17 voltaram alegres os setenta e dois discípulos, dizendo: “Senhor, até os demônios se nos submetem em teu nome!”
18 Jesus disse-lhes: “Vi Satanás cair do céu como um raio.
19 Eis que vos dei poder para pisar serpentes, escorpiões e todo o poder do inimigo.
20 Contudo, não vos alegreis porque os espíritos vos estão sujeitos, mas alegrai-vos de que os vossos nomes estejam escritos nos céus”.
21 Naquele mesma hora, Jesus exultou de alegria no Espírito Santo e disse: “Pai, Senhor do céu e da terra, eu te dou graças porque escondeste estas coisas aos sábios e inteligentes e as revelaste aos pequeninos. Sim, Pai, bendigo-te porque assim foi do teu agrado.
22 Todas as coisas me foram entregues por meu Pai. Ninguém conhece quem é o Filho senão o Pai, nem quem é o Pai senão o Filho, e aquele a quem o Filho o quiser revelar”.
23 E voltou-se para os seus discípulos, e disse: “Ditosos os olhos que vêem o que vós vedes,
24 pois vos digo que muitos profetas e reis desejaram ver o que vós vedes, e não o viram; e ouvir o que vós ouvis, e não o ouviram”.
Palavra da Salvação.

não vos alegreis porque os espíritos vos estão sujeitos, mas alegrai-vos de que os vossos nomes estejam escritos

Comentário ao Evangelho
A ALEGRIA DO APÓSTOLO
A missão dos discípulos de Jesus teve seu lado bonito de eficácia e acolhida. Eles foram testemunhas da ação da palavra de Deus na vida das pessoas e como elas se transformavam. Perceberam, igualmente, como as forças demoníacas que mantinham as pessoas cativas, seja do pecado seja da doença, eram vencidas. Viram o Reino expandir-se e se implantar na vida de muita gente. Por isso, voltavam cheios de alegria para junto de Jesus.
Jesus, porém, temperou o entusiasmo desses missionários, chamando-lhes a atenção para algo que lhes passava despercebido: sua alegria deveria consistir em saber que seus nomes estavam inscritos no céu, ou seja, que eram cidadãos do Reino, cujo Senhor era o Pai. O que faziam, portanto, só tinha sentido enquanto compreendido como serviço desinteressado e gratuito à causa do Reino. Os Apóstolos foram, também, alertados para não se deixarem enredar pela glória mundana provinda do sucesso da missão, e sim, descobrir a raiz verdadeira da alegria, que consistia em saber-se instrumento nas mãos do Pai para levar a salvação a toda humanidade.
A alegria e a felicidade despontaram, também, no coração de Jesus. Ele exultou, porque o Pai revelou a pessoas tão simples, como eram os Apóstolos, os mistérios do Reino, e contou com eles para serem seus servidores. Eis um grande motivo para louvar e agradecer!

Imagem relacionada

Oração
Senhor Jesus, que meu coração exulte de alegria por saber que o Pai conta comigo para ser servidor de seu Reino.(O comentário do Evangelho é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado neste Portal a cada mês)Sobre as Oferendas
Ó Deus de misericórdia, que esta oferenda vos seja agradável e possa abrir para nós a fonte de toda bênção. Por Cristo, nosso Senhor.Antífona da Comunhão
Nisto conhecemos o amor de Deus: Jesus deu sua vida por nós; por isso nós também devemos dar a nossa vida pelos irmãos (1Jo 3,16).Depois da Comunhão
Ó Deus, que a comunhão nesta eucaristia renove a nossa vida para que, participando da paixão de Cristo neste mistério e anunciando a sua morte, sejamos herdeiros da sua glória. Por Cristo, nosso Senhor.

archangel Raguel is known as the angel of justice and harmony. He works for God's will to be done in human relationships, so they can experience fairness and peace.

MEMÓRIA FACULTATIVA
SÃO BRUNO (Branco – Ofício da Memória)
Oração do Dia
Ó Deus, que chamastes são Bruno a vos servir na solidão, dai que, por suas preces, estejamos sempre voltados para vós em meio à agitação do mundo. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.Sobre as Oferendas
Sejam aceitos por vós, ó Deus, os frutos do nosso trabalho que trazemos ao vosso altar em honra de são Bruno, e concedei que, livres da avidez dos bens terrenos, tenhamos em vós a única riqueza. Por Cristo, nosso Senhor. Depois da Comunhão
Ó Deus, pela força deste sacramento, conduzi-nos constantemente no vosso amor, a exemplo de são Bruno, e completai, até a vinda do Cristo, a obra que começastes em nós. Por Cristo, nosso Senhor.

{{#if santo}} {{#santo}}
Santo do Dia / Comemoração (SÃO BRUNO)
Em meados do primeiro milênio depois de Cristo, Hugo, o bispo da diocese francesa de Grenoble, sonhou certa vez com sete estrelas que brilhavam sobre um lugar escuro, muito deserto. Achou estranho. Algum tempo depois, foi procurado por sete nobres e ricos, que queriam converter-se à vida religiosa e buscavam sua orientação, por causa da santidade e do prestígio do bispo. Hugo, reconhecendo na situação o sonho que tivera, ouviu-os com atenção e ofereceu-lhes fazer sua obra num lugar de difícil acesso, solitário, árido e inóspito. Assim, tiveram todo o seu apoio episcopal. Esses homens buscavam apenas o total silêncio e solidão para orar e meditar. Tudo o que desejavam, ou seja, queriam atingir a elevação espiritual, cortando definitivamente as relações com as coisas mundanas. Eles eram Bruno e seus primeiros seis seguidores e a ordem que fundaram foi a dos monges cartuxos. Bruno era um nobre e rico fidalgo alemão, que nasceu e cresceu na bela cidade de Colônia. Sua família era conhecida pela piedade e fervorosa devoção cristã. Cedo aquele jovem elegante resolveu abandonar a vida de vaidades e prazeres, que considerava inútil, sem sentido e improdutiva. Como era propício à nobreza, foi estudar na França e Itália. No primeiro país concluiu os estudos na escola da diocese de Reims, onde também se ordenou e posteriormente lecionou teologia. Como aluno, teve até mesmo um futuro papa. Mas também conhecia a fama de santidade do bispo de Grenoble, por isso decidiu procurá-lo. Assim, no lugar indicado por ele, Bruno liderou a construção da primeira Casa de Oração, com pequenas celas ao redor. Nascia a Ordem dos monges Cartuxos, cujas Regras foram aprovadas em 1176, mas ele já havia morrido. Lá, ele e seus discípulos se obrigaram ao silêncio permanente e absoluto. Oravam, trabalhavam, repousavam e comiam, mas no mais absoluto e total silêncio. Em 1090, o sumo pontífice era seu ex-aluno, que, tomando o nome de papa Urbano II, chamou Bruno para ser seu conselheiro. Ele, devendo obediência, abandonou aquele lugar ermo que amava profundamente. Porém não resistiu muito em Roma. Logo obteve aprovação do papa para construir seu mosteiro de Grenoble e também a autorização para fundar outra Casa da Ordem dos Cartuxos, na Calábria, num local ermo chamado bosque de La Torre, hoje chamado Serra de São Bruno, província de Vito Valentia. Viveu assim recolhido até que adoeceu gravemente. Chamou, então, os irmãos e fez uma confissão pública da sua vida e reiterou a profissão da sua fé, entregando o espírito a Deus em 6 de outubro de 1101. Gozando de fama de santidade, seu culto ganhou novo impulso em 1515. Na ocasião, o seu corpo, enterrado no cemitério no Convento de La Torre, foi exumado e encontrado completamente intacto, tendo, assim, sua celebração confirmada. Em 1623, o papa Gregório XV declarou Bruno santo da Igreja. Seguindo o carisma de seu fundador, a Ordem dos Cartuxos é uma das mais austeras da Igreja Católica e seguiu assim ao longo dos tempos, como ele mesmo previu: “Nunca será reformada, porque nunca será deformada”. Entretanto, atualmente, conta apenas com dezenove mosteiros espalhados pelo mundo todo.

Imagem relacionada