‘efetive tips🤴___

Posted: January 18, 2019 in Uncategorized

Por Deanna deBara em
na
6 dicas para organizar a vida (sem usar força de vontade)

Você já sentou para trabalhar alguma vez com uma baita força de vontade — e acabou caindo no “buraco negro” das mídias sociais e não produziu quase nada?

Pois é, a maioria das pessoas pensa que pode aumentar a produtividade pessoal através de mera força de vontade. Porém, quer uma dica para organizar sua vida de verdade? De acordo com Benjamin Hardy, autor de Willpower Doesn’t Work: Discover The Hidden Keys To Success (“A força de vontade não funciona: descubra os segredos ocultos do sucesso”, tradução livre para o português), a força de vontade não é a solução principal para aumentar a produtividade. Se você quer fazer mais em menos tempo, precisa mudar seu ambiente.

E não estamos falando de trocar seu cubículo no escritório por um café aconchegante na esquina. Hardy define “ambiente” como o conjunto dos espaços que você frequenta, hábitos, distrações, interações e outras pessoas com quem você sempre interage.

Conversamos com Hardy para entender seus insights sobre como o ato de mudar os vários aspectos de nosso ambiente pessoal pode aumentar a produtividade sem usar a força de vontade.

dicas para organizar a vida1 – Comprometa-se com quem você quer ser

De acordo com Hardy, esta é a principal dica para dominar a força de vontade e entender como organizar sua vida efetuando mudanças positivas (inclusive aumentando sua produtividade): tomar uma decisão sobre quem você quer ser, e então se comprometer com essa decisão.

“Se você ainda não decidiu, então é preciso que use a força de vontade”, diz Hardy.

Então, se você diz que quer escrever um livro, mas não se comprometeu com essa decisão, toda vez que se sentar para escrever, provavelmente você vai enfrentar todo tipo de conflito interno que exige muita força de vontade para serem eliminados: eu deveria escrever agora ou mais tarde? Acho que preciso comer alguma coisa. Não está na hora de checar meu e-mail? Acho que o cachorro precisa passear. E com o tempo, sua força de vontade se esgota e seu livro de sucesso continuará só no rascunho.

“Nós nos tornamos o produto da situação atual, a não ser que nossa decisão seja clara”, diz Hardy.

Porém, quando você se compromete de verdade com sua decisão, ela se torna parte de você — e o que faz parte de você não exige força de vontade. Em vez disso, é algo automático.

Hardy explica: “Por exemplo, eu não preciso de força de vontade para não beber álcool. Simplesmente não faz parte da minha identidade. Então, o primeiro passo é tomar decisões e, então, desfrutar do processo de incorporar essas decisões à sua identidade, a quem você é”.

2 – Crie seu ambiente em torno desse compromisso

O primeiro passo é o ato de se comprometer com sua decisão para aumentar sua produtividade e incorporar isso à sua identidade. Na mesma linha, o segundo passo tem a igual importância. Aqui vai mais uma boa dica para organizar a sua vida:

“O segundo componente — que é essencial — é então criar um ambiente que favorece essa identidade,” diz Hardy. “Na cultura ocidental, somos muito individualistas, logo pensamos em quem somos independente do contexto — no entanto, o contexto é muito poderoso.”

“Então, se você tenta tomar uma decisão e seu ambiente não favorece essa decisão, das duas uma: ou a decisão não foi tomada de verdade porque você não criou o ambiente para fazê-la acontecer, ou a decisão provavelmente vai fracassar porque você precisa exercer força de vontade contra seu ambiente,” continua Hardy.

Dessa forma, se você tomou a decisão de empreender, precisa criar um ambiente que possibilita administrar um negócio de sucesso, por exemplo:

  • Você pode frequentar um espaço de co-working e se cercar de profissionais que empreendem.
  • Desligar as notificações do celular quando estiver trabalhando para que nada distraia você das suas tarefas.
  • Ler livros, ouvir podcasts e frequentar conferências que inspirem e animem você a respeito do seu negócio próprio.

Resumindo, e talvez essa seja a maior das dicas para organizar sua vida: se você cria um ambiente propício à produtividade, não precisa de força de vontade para ter sucesso.

Tem uma frase do Marshall Goldsmith que gosto muito nesse sentido:

‘Se você não cria e controla seu ambiente, seu ambiente cria e controla você’.

Acho que há muita, mas muita verdade nisso,” diz Hardy.

3 – Elimine decisões desnecessárias

como organizar minha vida

De acordo com várias fontes, um adulto comum toma umas 35.000 decisões todos os dias.

“Fazemos tanta coisa, como checar o e-mail constantemente e até mesmo passar os olhos pelos feeds de notícias. Tomamos milhares de decisões todos os dias que não precisávamos tomar antes da existência da internet, antes da globalização, antes da industrialização,” diz Hardy.

Todas essas decisões — e a consideração e o esforço necessários para tomá-las — podem levar à “fadiga de decisão,” o princípio psicológico que define que, quanto mais decisões você precisa tomar, mais difícil se torna fazer escolhas certas. Em outras palavras, se você passa todo o seu tempo e energia decidindo o que comer, o que vestir ou a quais e-mails responder, fica muito mais difícil tomar decisões positivas sobre o que realmente importa (a exemplo do seu comprometimento em aumentar a produtividade pessoal e fazer mais coisas durante o dia).

Felizmente, existe uma solução fácil para a fadiga de decisão: eliminar toda decisão desnecessária do seu ambiente.

“A coisa mais inteligente que você pode fazer é remover tudo que é negativo proativamente e minimizar o número de decisões que você precisa tomar,” diz Hardy. “Por exemplo, deletar aplicativos do celular — isso é uma decisão. Você pode deletar um aplicativo do celular, aí não precisa pensar nele no futuro. Isso simplesmente elimina as escolhas desnecessárias.”

Pare e analise profundamente o seu ambiente e identifique quais decisões desnecessárias estão ocupando seu tempo e energia.

Por exemplo, se você percebe que está sempre se distraindo do trabalho com mensagens de texto, desligue suas notificações enquanto estiver fazendo o chamado “deep work”, ou trabalho aprofundado; assim, você elimina todas as decisões desnecessárias de uma conversa por mensagem de texto (a exemplo de decidir se para de trabalhar para olhar a mensagem, se  responde ou se continua a conversa ou concentra essa energia em fazer o trabalho acontecer).

Quanto mais decisões você eliminar durante o dia, mais energia mental vai sobrar para as decisões importantes, como organizar sua vida e trabalhar para alcançar suas metas.

5 – Conheça (e se proteja de) seus gatilhos

Infelizmente, por mais que você se comprometa a aumentar sua produtividade — e crie um ambiente que apoie essa intenção — imprevistos podem acontecer para distrair você e atrapalhar sua produtividade.

Quer mais outra dica para organizar sua vida? O segredo para impedir que essas coisas derrubem seus planos de produtividade é prevê-las e bolar um plano de ação para combatê-las.

“É saber quando, onde, como e quem. É saber quais lugares, coisas e pessoas tiram você do eixo para que você possa agir proativamente em vez de reagir,” diz Hardy.

“Você precisa basicamente se planejar para o fracasso a fim de ter sucesso. Isso se faz não só visualizando o resultado de uma meta, mas visualizando o processo e os obstáculos que você vai enfrentar. E então, o próximo passo é criar uma situação condicional de ‘se-então’.”

Assim, vamos supor que toda vez que você começa a sentir tédio ou inquietação, você abre o Facebook. O gatilho é o sentimento de tédio e inquietação — e o modo automático é ir para as mídias sociais.

Segue mais uma dica para organizar sua vida: em vez de entrar no modo automático quando o gatilho aparece (e perder tempo e produtividade nas mídias sociais), você pode bolar uma resposta proativa para lidar com o gatilho:

  • “Se eu sentir tédio e inquietação, vou me levantar e dar uma volta” ou
  • “Se eu sentir tédio e inquietação, vou parar por 10 minutos para ouvir um podcast sobre produtividade” ou
  • “Se eu sentir tédio e inquietação, vou tomar uns minutinhos para organizar minha mesa de trabalho”.

O objetivo é substituir sua resposta automática (Facebook) com uma resposta proativa (dar uma volta, ouvir um podcast, organizar sua mesa).

No fim das contas, sua resposta proativa será o novo modo automático — e em vez de os gatilhos levarem você a mais distrações, vão levar você a hábitos que aumentam sua produtividade pessoal.

6 – Conte com o apoio à sua volta

Você pode escolher os ambientes que frequenta, e se você escolher se expor a ambientes que melhoram sua produtividade, o sucesso está garantido.

Por muito tempo, a auto-ajuda basicamente falava sobre como a mudança acontece de dentro para fora. Porém, o que as pesquisas e a psicologia estão mostrando é que o processo de mudança, na verdade, acontece de fora para dentro,” diz Hardy. “Na verdade, você muda através do seu comportamento, de ambientes, de experiências. Você pode mudar de dentro para fora ao proativamente decidir quais ambientes vão mudar você”.

Acrescente aí à sua lista de dicas para organizar a vida: se você quer aumentar sua produtividade, é essencial estar em ambientes que inspiram você a produzir mais e a alcançar suas metas.

Se você quer correr todos os dias, é só se participar de um equipe grupo de corrida. Se você quer se dedicar duas horas todos os dias para escrever seu livro, vá até uma biblioteca e desligue seu wi-fi para ninguém distrair você do seu processo. Se você quer melhorar o seu negócio, faça parte de um mastermind com outros empreendedores que passaram pelo que você está passando.

Ou seja, as pessoas, os lugares e as coisas que fazem parte do seu ambiente vão moldar você. Então, se você está descobrindo agora como organizar sua vida e aumentar sua produtividade pessoal, lembre-se: você precisa escolher essas pessoas, esses lugares e essas coisas com cuidado.

Dica para organizar sua vida: o que fazer agora

força de vontade

De acordo com Hardy, não basta força de vontade para fazer transformações duradouras e positivas — inclusive se transformar em uma pessoa mais produtiva. Porém, o que você pode fazer?

Criar um ambiente que inclui lugares, pessoas, rotinas e mais coisas que apoiam a pessoa que você quer ser.

E quando você fizer isso, não vai precisar de força de vontade para fazer as coisas acontecerem — você vai simplesmente ser o tipo de pessoa que prioriza a produtividade total.


Seja algo negativo ou positivo, adoraríamos ouvir o que você acha. Escreva para atendimento@trello.com.

Leia mais: Quer melhorar a produtividade? 4 exemplos fantásticos da natureza 

Advertisements

ligião Liturgia Diáriadom total liturgia
Dia 18 de Janeiro – Sexta-feira
I SEMANA DO TEMPO COMUM
(Verde – Ofício do Dia)

Antífona de Entrada
Ergamos os nossos olhos para aquele que tem o céu como trono; a multidão dos anjos o adora, cantando a uma só voz: Eis aquele cujo poder é eterno.

Oração do dia
Ó Deus, atendei como pai às preces do vosso povo; dai-nos a compreensão dos nossos deveres e a força de cumpri-los. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Leitura (Hebreus 2,5-12)
Leitura da carta aos Hebreus.
2 5 Não foi tampouco aos anjos que Deus submeteu o mundo vindouro, de que falamos. 6 Alguém em certa passagem afirmou: “Que é o homem para que dele te lembres, ou o filho do homem, para que o visites?
7 Por pouco tempo o colocaste inferior aos anjos; de glória e de honra o coroaste,
8 e sujeitaste a seus pés todas as coisas”.
Ora, se lhe sujeitou todas as coisas, nada deixou que não lhe ficasse sujeito. Atualmente, é verdade, não vemos que tudo lhe esteja sujeito.
9 Mas aquele que fora colocado por pouco tempo abaixo dos anjos, Jesus, nós o vemos, por sua Paixão e morte, coroado de glória e de honra. Assim, pela graça de Deus, a sua morte aproveita a todos os homens.
10 Aquele para quem e por quem todas as coisas existem, desejando conduzir à glória numerosos filhos, deliberou elevar à perfeição, pelo sofrimento, o autor da salvação deles,11 para que santificador e santificados formem um só todo. Por isso, (Jesus) não hesita em chamá-los seus irmãos,
12 dizendo: “Anunciarei teu nome a meus irmãos, no meio da assembléia cantarei os teus louvores”. Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial 8
Destes domínio ao vosso Filho
sobre tudo o que criastes.

Ó Senhor, nosso Deus, como é grande
vosso nome por todo o universo!
Perguntamos: “Senhor, que é o homem,
para dele assim vos lembrardes
e o tratardes com tanto carinho?”

Pouco abaixo de Deus o fizestes,
coroando-o de glória e esplendor;
vós lhe destes poder sobre tudo,
vossas obras aos pés lhe pusestes.

As ovelhas, os bois, os rebanhos,
todo o gado e as feras da mata;
passarinhos e peixes dos mares,
todo ser que se move nas águas.

Evangelho (Marcos 1,21-28)
Aleluia, aleluia, aleluia.
Acolhei a palavra de Deus não como palavra humana, mas como mensagem de Deus, o que ela é, em verdade! (1Ts 2,13).
Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos.
1 21 Jesus e seus discípulos dirigiram-se para Cafarnaum. E já no dia de sábado, Jesus entrou na sinagoga e pôs-se a ensinar.
22 Maravilhavam-se da sua doutrina, porque os ensinava como quem tem autoridade e não como os escribas.
23 Ora, na sinagoga deles achava-se um homem possesso de um espírito imundo, que gritou:
24 “Que tens tu conosco, Jesus de Nazaré? Vieste perder-nos? Sei quem és: o Santo de Deus!
25 Mas Jesus intimou-o, dizendo: “Cala-te, sai deste homem!”
26 O espírito imundo agitou-o violentamente e, dando um grande grito, saiu.
27 Ficaram todos tão admirados, que perguntavam uns aos outros: “Que é isto? Eis um ensinamento novo, e feito com autoridade; além disso, ele manda até nos espíritos imundos e lhe obedecem!”
28 A sua fama divulgou-se logo por todos os arredores da Galiléia.
Palavra da Salvação.

possuido pelo demonio bib

Comentário ao Evangelho
PERSONALIDADES INCOMPATÍVEIS
A pergunta desesperada do homem possuído por um espírito imundo revela a incompatibilidade radical que existe entre Jesus e tudo quanto lhe é contrário. A frase “Que temos nós contigo, Jesus de Nazaré?” pode ser assim desdobrada: “Que existe em comum entre nós?”; “O que você está querendo fazer conosco?”; “Qual a sua intenção a nosso respeito?”.
Evidentemente, entre Jesus e o espírito imundo nada havia em comum. Um libertava o ser humano, o outro o escravizava. Um recuperava as pessoas para Deus, já o outro as afastava sempre mais do projeto do Pai, numa aberta afronta a ele. Um restaurava no coração humano o sentido da vida fraterna e solidária, o outro, pelo contrário, gerava discórdia e divisão. Um encarnava a novidade da misericórdia de Deus, o outro insistia no caminho inconveniente da soberba. Por isso, a única intenção de Jesus era derrotar este espírito mau.
À ordem do Mestre, ele deixou o possesso, depois de agitá-lo violentamente e fazer grande alarido.
Esta é a imagem do que se passa no coração de cada um de nós: o mau espírito reluta em abandonar o espaço conquistado no nosso interior. Se não nos deixamos ajudar por Jesus, corremos o risco de permanecer escravos desse espírito do mal. O discipulado cristão exige que façamos a experiência de ser libertados pelo Mestre, pois é impossível compatibilizá-lo com as forças do mal que age dentro de nós.

Resultado de imagem para possuido pelo demonio bib

Oração
Pai, dá-me forças para que jamais eu permita ao poder do mal prevalecer sobre mim. Seja o meu coração totalmente voltado para ti e para o teu Reino.
O comentário do Evangelho é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado neste Portal a cada mês
Sobre as Oferendas
Possa agradar-vos, ó Deus, a oferenda do vosso povo; que ela nos obtenha a santificação e o que confiantes vos pedimos. Por Cristo, nosso Senhor.
Antífona da Comunhão
Eu vim para que tenham a vida e a tenham cada vez mais, diz o Senhor (Jo 10,10).
Depois da Comunhão
Deus todo-poderoso, que refazeis as nossas forças pelos vossos sacramentos, nós suplicamos a graça de vos servir por uma vida que vos agrade. Por Cristo, nosso Senhor.

 

med tech

Posted: January 17, 2019 in saúde, tecnologia

5 soluções tecnológicas que dão mais eficiência para a medicina
Debatidas no Wired Festival Brasil 2018, evoluções vão permitir projeções 3D em tempo real do organismo dos pacientes

5 TECNOLOGIAS DA EFICIÊNCIA NA SAÚDE 
As soluções digitais que já estão em uso ou em fase de testes contemplam desde conectividade (com links que interligam cidades, inclusive nas áreas remotas) ao desenvolvimento de softwares específicos para resolver problemas do dia a dia de hospitais, postos médicos e consultórios.
É como se uma onda tecnológica transformasse os espaços. A imagem tradicional do médico escrevendo em um papel diante do paciente vai sendo substituída, por exemplo, pela do profissional acompanhando o fluxo sanguíneo de alguém em tempo real, graças a uma projeção 3D de realidade aumentada. É uma verdadeira revolução em diferentes frentes, como mostram os itens abaixo.
1. ASSISTENTES VIRTUAIS E INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL
Uma tecnologia com a qual muitos pacientes já estão familiarizados, por causa dos smartphones, são os assistentes virtuais. Esses “robôs” usam Inteligência Artificial para responder, baseados em informações seguras, perguntas ou comandos. Nos hospitais, eles tornam possível, por exemplo, um primeiro atendimento via chatbot, que otimiza processos de triagem. Da mesma forma, potencializam a assistência 24 horas em casos de internações, em quartos equipados com microfones e sistemas capazes de transcrever voz em texto. Isso permite que o paciente interaja com enfermeiros a distância.
2. BIG DATA & ANALYTICS
Somar mobilidade com soluções de Big Data & Analytics permite analisar amostras de sangue em tempo recorde. Digitalizadas, as informações sobre o material podem ser transmitidas via internet à laboratórios, onde serão investigadas com ajuda de supercomputadores conectados com banco de dados. Reunindo informações úteis ao diagnóstico, a solução ajuda a obter resultados rápidos de exames, o que muitas vezes é crucial a um tratamento.
3. INTERNET DAS COISAS
Sensores conectados à internet podem reduzir os índices de acidentes durante internações. Nos quartos e leitos, os dispositivos – sensíveis a movimento, calor, luz e som – são instalados em câmeras ou lâmpadas para monitorar todas as ações dos pacientes. Com isso, os movimentos inesperados geram alertas a fim de impedir ocorrências como quedas de camas ou berços. Igualmente, sintomas como tosse e falta de ar são indicativos para agilizar atendimentos de emergência.
4. CLOUD COMPUTING
Assim como a precisão dos resultados, o acesso rápido aos dados dos exames pode ser definitivo para um diagnóstico. O processo fica muito mais ágil quando essas informações estão armazenadas na nuvem, em uma infraestrutura que ofereça performance, espaço e, principalmente, segurança, que garanta a privacidade de dados dos pacientes. Outro ganho de se contratar um serviço de cloud é ajudar as instituições a manterem seu foco na promoção da saúde, sem ter que ser preocupar com a manutenção de servidores próprios.
5. REALIDADE AUMENTADA
A realidade aumentada permitirá que o médico enxergue o paciente por dentro, em tempo real. A Universidade Federal de Uberlândia (UFU) já testa um sistema, o ARBioMed, que converte sinais cardiológicos dos pacientes em formatos digitais. Por meio de um “colar” codificado para cada pessoa, será possível acompanhar os batimentos do coração. Outro exemplo simples é usar a tecnologia para criar um mapa de veias no braço, que seria visto com óculos especiais.


RELIGIÃO LITURGIA DIÁRIAdom total liturgia
Dia 17 de Janeiro – Quinta-feira
SANTO ANTÃO PAI DA VIDA MONACAL
(Branco, Prefácio Comum ou dos Santos – Ofício da Memória)

Antífona de Entrada O justo florescerá como a palmeira; crescerá como o cedro do Líbano, plantado na casa do Senhor, nos átrios de nosso Deus (Sl 91,13s).

Oração do dia Ó Deus, que chamastes ao deserto santo Antão, pai dos monges, para vos servir por uma vida heróica, dai-nos, por suas preces, a graça de renunciar a nós mesmos e amar-vos acima de tudo. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Leitura (Hebreus 3,7-14) Leitura da carta aos Hebreus.
7 Por isso, como diz o Espírito Santo: “Hoje, se ouvirdes a sua voz,
8 não endureçais os vossos corações, como por ocasião da revolta, como no dia da tentação no deserto,
9 quando vossos pais me puseram à prova e viram o meu poder por quarenta anos. 10 Eu me indignei contra aquela geração, porque andavam sempre extraviados em seu coração e não compreendiam absolutamente nada dos meus desígnios.
11 Por isso, em minha ira, jurei que não haveriam de entrar no lugar de descanso que lhes prometera! “12 Tomai precaução, meus irmãos, para que ninguém de vós venha a perder interiormente a fé, a ponto de abandonar o Deus vivo. 13 Antes, animai-vos mutuamente cada dia durante todo o tempo compreendido na palavra “hoje”, para não acontecer que alguém se torne empedernido com a sedução do pecado. 14 Porque somos incorporados a Cristo, mas sob a condição de conservarmos firme até o fim nossa fé dos primeiros dias.
Palavra do Senhor.
Vinda, adoremos e prostremo-nos por terra,
E ajoelhemos ante o Deus que nos criou!
Porque ele é o nosso Deus, nosso pastor,
E nós somos o seu povo e seu rebanho,
As ovelhas que conduz com sua mão.Oxalá ouvísseis hoje a sua voz:
“Não fecheis os corações como em Meriba,
Como em Massa, no deserto, aquele dia,
Em que outrora vossos pais me provocaram,
Apesar de terem visto as minhas obras.Quarenta anos desgostou-me aquela raça,
E eu disse: Eis um povo transviado,
Seu coração não conheceu os meus caminhos!
E por isso lhes jurei na minha ira:
Não entrarão no meu repouso prometido!”
Evangelho (Marcos 1,40-45)
Aleluia, aleluia, aleluia.
Jesus pregava a boa-nova, o reino anunciando, e curava toda espécie de doenças entre o povo (Mt 4,23). 

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos.
40 Aproximou-se de Jesus um leproso, suplicando-lhe de joelhos: “Se queres, podes limpar-me.”
41 Jesus compadeceu-se dele, estendeu a mão, tocou-o e lhe disse: “Eu quero, sê curado.”
42 E imediatamente desapareceu dele a lepra e foi purificado.
43 Jesus o despediu imediatamente com esta severa admoestação:
44 “Vê que não o digas a ninguém; mas vai, mostra-te ao sacerdote e apresenta, pela tua purificação, a oferenda prescrita por Moisés para lhe servir de testemunho.”
45 Este homem, porém, logo que se foi, começou a propagar e divulgar o acontecido, de modo que Jesus não podia entrar publicamente numa cidade. Conservava-se fora, nos lugares despovoados; e de toda parte vinham ter com ele.
Palavra da Salvação.
Comentário ao Evangelho OS LUGARES DESERTOS
O assédio das multidões fazia Jesus evitar as cidades e preferir os lugares desertos, para onde acorria quem precisava de sua ajuda. Esta opção explica-se pelo desejo de realizar sua missão com plena liberdade, sem ser pressionado pelos ideais messiânicos, largamente difundidos nos meios populares. O deserto era apropriado para ele se proteger.
Mas é possível fazer uma interpretação simbólica desta opção de Jesus. O imaginário da época reportava-se às agruras do êxodo do Egito, quando pensava no deserto. Sendo desabitado, sem vegetação, este se torna perigoso e mortífero. O deserto é lugar de provação. Nele é preciso escolher entre confiar em Deus ou confiar em si mesmo e nas capacidades pessoais de vencer os desafios.
A configuração terrível do deserto gerou a crença de que, nele, habita o Diabo, como se fosse o lugar escolhido, por ser neutro, para o confronto com Deus. As cenas evangélicas da tentação são, por isso, situadas no deserto, para onde Jesus é conduzido pelo Espírito.
Escolhendo o deserto como lugar de ação, Jesus combatia o inimigo da humanidade, dentro dos domínios deste. Esta luta sem trégua marcou a ação do Mestre, pois a implantação do Reino supunha a derrota das forças diabólicas. Ele as enfrentou e venceu, com destemor. Sinal disto foram as curas e os milagres realizados nas regiões desertas. Com a chegada de Jesus, o Diabo perdeu o poder de oprimir o ser humano.

Oração
Pai, dá-me forças para combater e vencer as forças do mal que impedem o Reino acontecer na minha vida e na história humana.
O comentário do Evangelho é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado neste Portal a cada mês
Sobre as Oferendas
Aceitai, ó Deus, nossas humildes oferendas trazidas ao altar na festa de santo Antão, para que, desapegados dos bens terrenos, vos tenhamos por única riqueza. Por Cristo, nosso Senhor.
Antífona da Comunhão
Se queres ser perfeito, vai, vende o que tens e dá aos pobres. Depois, vem e segue-me, diz o Senhor (Mt 19,21).
Depois da Comunhão
Ó Deus, que nos fortalecestes pelo vosso sacramento, concedei-nos vencer as tentações do inimigo, como destes a santo Antão esplêndidas vitórias contra as forças do mal. Por Cristo, nosso Senhor.

 


Difícil de acreditar.
Pessoal, as alterações na LDB saíram hoje!!! Da noite pro dia, só pra variar
Publicada a nova legislação da educação, envolvendo o ensino médio e também mudanças no fundamental.
Não são mais obrigatórias: Sociologia, Filosofia, Artes, Educação Física, Música.
Não é mais obrigatório o ensino de cultura afrobrasileira.
Não é mais garantida a universalidade do ensino básico.
Não é mais garantida a gratuidade do ensino público básico (tanto no fundamental quanto no médio).
Não é mais obrigação do Estado garantir educação infantil para todos.
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9394.htm
Está difícil de acreditar
: http://www.planalto.gov.br/…/_Ato2015-…/2016/Mpv/mpv746.htm…
No link da LDB indicado acima encontra-se no corpo do texto as alterações dessa MP.
Nesse novo formato eles anulam todos os parágrafos incluídos pelas leis 10.639 e 11.645
Veja mais essa aberração do judiciário. Vamos denunciar.
O cúmulo será a aprovação da Nova LEI ORGÂNICA da Magistratura Nacional (LOMAN).
O projeto cria, por exemplo, auxílio-educação para filhos com até 24 anos de juízes, desembargadores e ministros do Judiciário em escolas e universidades privadas; auxílio-moradia equivalente a 20% do salário; transporte, quando não houver veículo oficial; reembolso por despesas médicas e odontológicas não cobertas por plano de saúde, e licenças para estudar no exterior com remuneração extra.
Se você repassar para somente dois amigos nas primeiras horas , em 28 horas toda população brasileira vai tomar -conhecimento desse ABSURDO.
Não deixe de repassar, ao menos a 2 amigos; é o suficiente ata gerar está progressão de números
http://www.planalto.gov.br
planalto.gov.br
Não dá para acreditar! Não será possivel o povo não reagir! Repasse, POR FAVOR!!!!!
02/11/2018 15Compartlhe, por favor. Precisamos desmontar a farsa.
12/11/2018 09:20
CORRE A NOTÍCIA QUE OS DEPUTADOS FEDERAIS QUE ESTÃO TRABALHANDO NAS REFORMAS DA PREVIDÊNCIA PEDIRAM AO TEMER PRA TENTAR BARRAR ESSA PROPAGANDA DOS AUDITORES DA RECEITA FEDERAL, POIS A PRESSÃO AUMENTOU NO CONGRESSO, FAÇA SUA PARTE, MULTIPLIQUE ESSA INFORMAÇÃO.:26

Posted: January 15, 2019 in Uncategorized

Ministros, juízes e perus, por Fernando Horta

Ministros, juízes e perus, por Fernando Horta

O STF é uma instituição relativamente pequena, com composição fixa (admitindo pequenas mudanças), com regimento interno conhecido, que tem certa transparência e produz documentos escritos que sobrevivem à aceleração dos tempos contemporâneos. O STF é, pois, um excelente exemplo para compreensão do que ocorre no Brasil. Especialmente a partir do momento que a corte deixou de ter seu lado jurídico como balizador de suas ações. Quando as doutrinas, os argumentos lógicos e o respeito às leis deixaram lugar à retórica conveniente, ao conchavo político e ao descaramento abusivo, a corte se tornou um espelho das forças que agem sobre ela. Ao invés de ser um polo de poder contra-hegemônico, plural e garantista, o STF cedeu e se tornou igual ao monstro que deveria conter.

As mudanças do STF, pois, espelham o que ocorre com o Brasil.

Recentemente um amigo me chamou à atenção para o voto de Fux, no caso Cesare Battisti. Quando ainda em 2011, no pleno e com Barroso como advogado, Fux votou a favor da liberdade de Battisti (e anuência com a decisão de Lula) afirmando que era um “ato de soberania nacional”. Apenas sete anos depois, Fux dá uma liminar profundamente política (eis que inapropriada sem respaldo em jurisdição da corte) mandando prender o refugiado político italiano. Não é o único caso de mudanças diametrais no entendimento da corte. Carmem Lúcia mantinha uma postura de independência jurídica nos primeiros anos e terminou seu tempo como presidentA do STF domesticada pelo jogo político. Toffoli foi indicado certamente porque acreditava-se que poderia ser um contrapeso à política rasa que sempre tinha sido feita por Gilmar Mendes. Não aconteceu.

Aliás, estes dois personagens (Toffoli e Mendes) apresentam, talvez, as mudanças mais dramáticas de posicionamentos, e nos ajudam a compreender o Brasil. Toffoli se tornou um subserviente peão político cuja função é apenas legitimar as decisões que são provenientes de poder exercido sobre a corte. Gilmar Mendes, ao contrário, de falastrão político (do tipo coronel da república velha), ele passou a defender posições independentes e até corajosas. Não se diga que era em favor apenas do PSDB, porque é possível que seja, mas não temos certeza. Nosso objetivo nesta análise é minorar as incertezas. Contudo, o silêncio de Mendes, nos últimos tempos, é ensurdecedor.

O que provocou todas estas mudanças em todos os ministros da corte em tão pouco tempo? Teria sido apenas “erro do PT”, como gosta de afirmar uma parte da esquerda que nunca teve de fato o ônus do governo?

Eu acho que não. Há que se ter em mente duas “leis” sobre o poder: (1) nunca há vácuo de poder, se alguém que o deveria deter não usa, outro tomará o espaço e (2) o poder sempre provoca atitudes “anti-naturais”. Ou seja, o comportamento do indivíduo A será diferente após exposição ao poder do que seria sem este. E quem exerce poder não vê sentido em exercer para manter as coisas como estão dado que seria um desgaste sem resultado.

A este ponto da argumentação é possível dizer que as mudanças que vemos no micro-espaço do STF, afeito ao exercício do poder em escalas muito maiores do que no resto da sociedade, reflete o objetivo de quem exerce o poder, bem como demonstra quais são suas práticas, valores e estratégias. Mesmo sem querer, o STF pode ser o grande delator daquilo que está por detrás das mudanças que o país vive desde 2013.

O período de Carmem Lúcia na presidência do STF foi o período do golpe liberal. Carmem Lúcia era bajulada pela mídia, tinha frases de efeito para coroar uma retórica inepta e rudimentar e dizia sempre que “as instituições estão funcionando”. O golpe de Temer e as piruetas dadas nos anos seguintes precisavam da teatralidade do STF, que criou termos jurídicos que ficarão na história para legitimar os abusos. “Mutação constitucional”, “a norma como exegese viva da sociedade”, “o direito que ouve os anseios da sociedade” e o legislador como um modificador ativo do país estão entre as reboladas que foram ouvidas no STF para legitimar o fim da presunção de inocência, da hierarquização do direito (que permitia Moro fazer o que quisesse) e, em última análise, a destruição da constituição de 1988.

Os juristas contemporâneos chamam todo este carnaval retórico que age como fantasia a esconder o uso do poder de “poder desconstituinte”. Marx definia isto a ideologia da classe dominante cuja ação superestrutural visa apenas a manutenção da dominação da burguesia sobre o resto da sociedade com reduzido custo material. Seja como for, ainda havia a necessidade da fantasia jurídica. Havia a necessidade do empolamento teatralizado das cortes e das togas. As leis eram parcialmente respeitadas, e se não eram o corrompedor da lei era um juiz, o que garantia que a encenação continuasse. O TRF4 chegou a dizer em sentença que a Lava a Jato NÃO precisava seguir os ritos jurídicos eis que era de “exceção”. A exceção pedia normalização pela retórica dos tribunais, e isto criava uma teatralidade obscena para quem conhece e entende o que se passa. Contudo, emprestava uma legitimidade pornográfica a todos os que não tiveram a sorte de estudar.

Era, como eu disse, o golpe liberal. Ainda os liberais tinham a pretensão de controlar a mudança. Aécio e Alckmin tinham a pachorra de irem para a Avenida Paulista tentar faturar em cima dos movimentos que financiaram a ajudaram a espalhar. Os liberais pensaram, como os girondinos na Revolução Francesa, que seria mais um golpe branco. Que mudariam a presidenta para não mudar mais nada. Era necessário preservar as aparências. As cortes e os juízes ainda tinham serventia. A mudança tinha que ser tanta que a esquerda caísse, e mais nada, para evitar-se transformações não queridas.

Este jogo de dosimetria das mudanças sociais é, normalmente, o grande erro de quem encabeça golpes e rupturas. Geralmente desconhecem a frase de Luís XVI quando tentava fugir do Palácio de Versalhes em plena Revolução. Surpreendido pelo povo na frente da sua carruagem foi inquirido pelo cocheiro a que velocidade deveriam ir. O ainda rei com sua ainda cabeça no lugar teria dito “Nem tão rápido para que pensem que estamos fugindo, nem tão devagar para que achem que é deboche”. Eis aí o grande problema de quem surfa nas massas. O que se tenta é manter as aparências para se conseguir o que a história do Brasil chama de “mudança pelo alto”. Talvez, um dos exemplos mais bem-sucedidos tenham sido nossa própria independência e nossa República. Mudanças para pouco ou quase nada mudar.

Não é, pois, sem sentido que os “liberais” brasileiros pensassem que poderiam fazer isto de novo. Contudo, cometeram um enorme erro.

Nem assumiu e o fascismo já implementa uma diferença radical no STF. Sai a retórica piruetal exegética jurídica e entra o uso duro e frio da exceção como demonstração de poder. Toffoli, que subservientemente aceitou a colocação de um general para lhe supervisionar seus trabalhos, não teve o mínimo de pudor em cassar de forma monocrática a decisão de Marco Aurélio. Segundo amigos me disseram, o fez de forma única. “Nunca antes na história deste país” um ministro tinha sido calado por decisão individual do presidente da casa. Era sempre o pleno. O “pleno” é a fantasia liberal da deliberação como exercício de uma democracia, ainda que mínima. A decisão de Toffoli, amparada por generais que se reuniram, dizem, que no segundo andar do STF, é o descortinar do fascismo. Veja que Toffoli inaugura a hierarquia entre os ministros, tornando o STF uma cópia do exército. Toda e qualquer decisão ministerial agora, está sujeita ao “cumpra-se” do presidente do STF. E sabe-se que Toffoli decide conforme seu supervisor verde oliva lhe ordena. Marco Aurélio, de forma ousada (pelo quê lhe agradecemos, Ministro), expõe o golpe dentro do golpe. Os liberais perderam a mão, o fascismo transforma tudo à sua volta em espelho de si. A destruição da independência e poder dos ministros do supremo obedece ao novo estágio da monstruosidade que Aécio, Cunha e tantos outros libertaram no país.

A ignorância de procuradores pedindo a intervenção no STF é da mesma lavra da felicidade de alguns ministros e juízes com a queda da decisão de Marco Aurélio. É como o peru comemorando o Natal. Se Marco Aurélio denunciou as “manipulações de pauta” para atacar a esquerda e o PT, é preciso que se diga que elas não são tão distantes da “competência estendida” que Mendes e Moro usaram para cassar atos que não estavam em suas esferas de influência. Este “esgarçar” dos poderes nunca é bem-vindo e nunca é contido, exatamente porque os fins não justificam os meios para uma República.

De qualquer forma, não somos mais uma República, e Marco Aurélio mostrou bem isto. Estamos em transformação acelerada para algo monstruoso que a História chama de fascismo. Com o STF, com tudo.


Religião Liturgia Diáriadom total liturgia
Dia 15 de Janeiro – Terça-feira
I SEMANA DO TEMPO COMUM
(Verde – Ofício do Dia)

Antífona de Entrada
Ergamos os nossos olhos para aquele que tem o céu como trono; a multidão dos anjos o adora, cantando a uma só voz: Eis aquele cujo poder é eterno.

Oração do dia
Ó Deus, atendei como pai às preces do vosso povo; dai-nos a compreensão dos nossos deveres e a força de cumpri-los. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Leitura (Hebreus 2,5-12)
Leitura da carta aos Hebreus.
2 5 Não foi tampouco aos anjos que Deus submeteu o mundo vindouro, de que falamos. 6 Alguém em certa passagem afirmou: “Que é o homem para que dele te lembres, ou o filho do homem, para que o visites?
7 Por pouco tempo o colocaste inferior aos anjos; de glória e de honra o coroaste,
8 e sujeitaste a seus pés todas as coisas”.
Ora, se lhe sujeitou todas as coisas, nada deixou que não lhe ficasse sujeito. Atualmente, é verdade, não vemos que tudo lhe esteja sujeito.
9 Mas aquele que fora colocado por pouco tempo abaixo dos anjos, Jesus, nós o vemos, por sua Paixão e morte, coroado de glória e de honra. Assim, pela graça de Deus, a sua morte aproveita a todos os homens.
10 Aquele para quem e por quem todas as coisas existem, desejando conduzir à glória numerosos filhos, deliberou elevar à perfeição, pelo sofrimento, o autor da salvação deles,11 para que santificador e santificados formem um só todo. Por isso, (Jesus) não hesita em chamá-los seus irmãos,
12 dizendo: “Anunciarei teu nome a meus irmãos, no meio da assembléia cantarei os teus louvores”.
Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial 8
Destes domínio ao vosso Filho
sobre tudo o que criastes.

Ó Senhor, nosso Deus, como é grande
vosso nome por todo o universo!
Perguntamos: “Senhor, que é o homem,
para dele assim vos lembrardes
e o tratardes com tanto carinho?”

Pouco abaixo de Deus o fizestes,
coroando-o de glória e esplendor;
vós lhe destes poder sobre tudo,
vossas obras aos pés lhe pusestes.

As ovelhas, os bois, os rebanhos,
todo o gado e as feras da mata;
passarinhos e peixes dos mares,
todo ser que se move nas águas.

Evangelho (Marcos 1,21-28)
Aleluia, aleluia, aleluia.
Acolhei a palavra de Deus não como palavra humana, mas como mensagem de Deus, o que ela é, em verdade! (1Ts 2,13).

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos.
1 21 Jesus e seus discípulos dirigiram-se para Cafarnaum. E já no dia de sábado, Jesus entrou na sinagoga e pôs-se a ensinar.
22 Maravilhavam-se da sua doutrina, porque os ensinava como quem tem autoridade e não como os escribas.
23 Ora, na sinagoga deles achava-se um homem possesso de um espírito imundo, que gritou:
24 “Que tens tu conosco, Jesus de Nazaré? Vieste perder-nos? Sei quem és: o Santo de Deus!
25 Mas Jesus intimou-o, dizendo: “Cala-te, sai deste homem!”
26 O espírito imundo agitou-o violentamente e, dando um grande grito, saiu.
27 Ficaram todos tão admirados, que perguntavam uns aos outros: “Que é isto? Eis um ensinamento novo, e feito com autoridade; além disso, ele manda até nos espíritos imundos e lhe obedecem!”
28 A sua fama divulgou-se logo por todos os arredores da Galiléia.
Palavra da Salvação.Imagem relacionada

Comentário ao Evangelho
PERSONALIDADES INCOMPATÍVEIS
A pergunta desesperada do homem possuído por um espírito imundo revela a incompatibilidade radical que existe entre Jesus e tudo quanto lhe é contrário. A frase “Que temos nós contigo, Jesus de Nazaré?” pode ser assim desdobrada: “Que existe em comum entre nós?”; “O que você está querendo fazer conosco?”; “Qual a sua intenção a nosso respeito?”.
Evidentemente, entre Jesus e o espírito imundo nada havia em comum. Um libertava o ser humano, o outro o escravizava. Um recuperava as pessoas para Deus, já o outro as afastava sempre mais do projeto do Pai, numa aberta afronta a ele. Um restaurava no coração humano o sentido da vida fraterna e solidária, o outro, pelo contrário, gerava discórdia e divisão. Um encarnava a novidade da misericórdia de Deus, o outro insistia no caminho inconveniente da soberba. Por isso, a única intenção de Jesus era derrotar este espírito mau.
À ordem do Mestre, ele deixou o possesso, depois de agitá-lo violentamente e fazer grande alarido.
Esta é a imagem do que se passa no coração de cada um de nós: o mau espírito reluta em abandonar o espaço conquistado no nosso interior. Se não nos deixamos ajudar por Jesus, corremos o risco de permanecer escravos desse espírito do mal. O discipulado cristão exige que façamos a experiência de ser libertados pelo Mestre, pois é impossível compatibilizá-lo com as forças do mal que age dentro de nós.

Resultado de imagem para cafarnaum israel
Oração
Pai, dá-me forças para que jamais eu permita ao poder do mal prevalecer sobre mim. Seja o meu coração totalmente voltado para ti e para o teu Reino.
O comentário do Evangelho é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado neste Portal a cada mês
Sobre as Oferendas
Possa agradar-vos, ó Deus, a oferenda do vosso povo; que ela nos obtenha a santificação e o que confiantes vos pedimos. Por Cristo, nosso Senhor.
Antífona da Comunhão
Eu vim para que tenham a vida e a tenham cada vez mais, diz o Senhor (Jo 10,10).
Depois da Comunhão
Deus todo-poderoso, que refazeis as nossas forças pelos vossos sacramentos, nós suplicamos a graça de vos servir por uma vida que vos agrade. Por Cristo, nosso Senhor. Resultado de imagem para cafarnaum israel