Author Archive


A DECADÊNCIA DAS FESTAS POPULARES

Quem frequentou a festa da Conceição da Praia nos anos 70-80 não esqueceu o ambiente e as belezas. Umas cinquenta mil ou mais pessoas transitavam alegremente desde a igreja até o Mercado Modelo. Eu costumava beber uma geladinha no Sultão das Matas e jantar de efó na histórica Barraca da Índia. Iniciava-se o ciclo do verão, definindo uma identidade cultural, hoje triste sombra do que já foi. Tenho a erradicação das tradicionais barracas por uma prefeita aculturada como início da decadência. A partir da data em que estruturas de alumínio e coberturas de plástico substituíram uma das expressões mais significativas da cultura popular baiana, as festas iriam gradativamente desaparecer, apagando da memória da cidade, entre outros, tradicionais fazeres de pintores letristas e carpinteiros de bancos e mesas.

Do carnaval que conheci, com índios, crentes, sujos e pierrôs, Morais Moreira embalando os foliões, a decoração das praças e avenidas pelo Juarez Paraíso, nada resta. A Axé Music acabou com meus carnavais. Como as mortalhas acabaram com as fantasias e os abadás com as mortalhas. Questão de idade? Claro!… Mas também questão de qualidade cultural. Nossos administradores “profissionalizaram” as festas. Em outros termos: substituíram toda e qualquer autenticidade pela deusa Rentabilidade. A cor “marrom-cerveja” ocupa, absoluta, os espaços das bandeirolas, das homenagens a famosos carnavalescos, das cortinas de chitão e dos jarros com espada de Ogum. Os canais de televisão estabeleceram uma ditadura de horários, de preferências rítmicas, de bonecas de bumbum polpudo e malhadões tatuados. Pedaços da orla foram transformados em sambódromos, dos quais, aliás, sambas e marchinhas foram excluídos.

Do Santo Antônio de outrora o que restou, além de algumas teimosas trezenas? No largo do meu bairro, nos anos 80-90, havia uma festa da comunidade. Senhoras da paroquia montavam barraquinhas onde eram vendidos licores, bolos diversos, canjicas e amendoins. Aparecia uma quadrilha, corriam as crianças à volta do coreto. Hoje é pagode, cerveja, barulheira e mijo. Quando não alguns tiros.

A Semana Santa é tempo de recolhimento, de contrição para os cristãos. É? Não: Era! Hoje é farra. Na minha rua tem até bloco de carnaval, com fartos decibéis de música brega! As procissões estão agonizando, em boa parte por culpa dos próprios responsáveis que muito contribuem para a descaracterização, chegando até a anular o evento quando um chuvisco ameaça. Poucos moradores assistem desde a janela que não se preocuparam em enfeitar. Os cânticos são de uma mediocridade musical deprimente, empurrando preguiçosamente a marcha de fieis indiferentes.
Para onde foram nossas magias?

COMENTÁRIO DO BLOGUEIRO
Na publicação deste artigo, o jornal A Tarde, se permitiu trocar “prefeita” por “prefeitura”. Censura a pleno vapor!

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e atividades ao ar livre

Advertisements

Religião Liturgia Diáriadom total logo up ___
Dia 6 de Julho – Sexta-feira
XIII SEMANA DO TEMPO COMUM
(Verde – Ofício do Dia)

Antífona de Entrada
Povos todos, aplaudi e aclamai a Deus com brados de alegria (Sl 46,2).

Oração do dia
Ó Deus, pela vossa graça, nos fizestes filhos da luz. Concedei que não sejamos envolvidos pelas trevas do erro, mas brilhe em nossas vidas a luz da vossa verdade. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Leitura (Amós 8,4-6.9-12)
Leitura da profecia de Amós.
8 4 Ouvi isto, vós que engolis o pobre, e fazeis perecer os humildes da terra,
5 dizendo: “Quando passará a lua nova, para vendermos o nosso trigo, e o sábado, para abrirmos os nossos celeiros, diminuindo a medida e aumentando o preço, e falseando a balança para defraudar?
6 (Compraremos os infelizes por dinheiro e os pobres por um par de sandálias.) Venderemos até o refugo do trigo”.
9 “Acontecerá naquele dia – oráculo do Senhor Javé – que farei o sol se pôr ao meio-dia, e encherei a terra de trevas em pleno dia.
10 Converterei vossas festas em luto, e vossos cânticos em elegias fúnebres. Porei o saco em volta de todos os rins, e a navalha em todas as cabeças. E farei (a terra) debulhar-se em pranto, como se chora um filho único, e seu porvir será um dia de amargura.
11 Virão dias – oráculo do Senhor Javé – em que enviarei fome sobre a terra, não uma fome de pão, nem uma sede de água, mas (fome e sede) de ouvir a palavra do Senhor.
12 Andarão errantes de um mar a outro, vaguearão do norte ao oriente; correrão por toda parte buscando a palavra do Senhor, e não a encontrarão”.
Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial 118/119
O homem não vive somente de pão,
mas de toda palavra da boca de Deus.

Feliz o homem que observa seus preceitos
e de todo o coração procura a Deus!

De todo o coração eu vos procuro,
não deixeis que eu abandone a vossa lei!

Minha alma se consome o tempo todo
em desejar as vossas justas decisões.

Escolhi seguir a trilha da verdade,
diante de mim eu coloquei vossos preceitos.

Como anseio pelos vossos mandamentos!
Dai-me a vida, ó Senhor, porque sois justo!

Abro a boca e aspiro largamente,
pois estou ávido de vossos mandamentos.

Evangelho (Mateus 9,9-13)
Aleluia, aleluia, aleluia.
Vinde a mim, todos vós que estais cansados, e descanso eu vos darei, diz o Senhor (Mt 11,28)
.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.
9 9 Partindo dali, Jesus viu um homem chamado Mateus, que estava sentado no posto do pagamento das taxas. Disse-lhe: “Segue-me”. O homem levantou-se e o seguiu.
10 Como Jesus estivesse à mesa na casa desse homem, numerosos publicanos e pecadores vieram e sentaram-se com ele e seus discípulos.
11 Vendo isto, os fariseus disseram aos discípulos: “Por que come vosso mestre com os publicanos e com os pecadores?”
12 Jesus, ouvindo isto, respondeu-lhes: “Não são os que estão bem que precisam de médico, mas sim os doentes.
13 Ide e aprendei o que significam estas palavras: ‘Eu quero a misericórdia e não o sacrifício’. Eu não vim chamar os justos, mas os pecadores.”
Palavra da Salvação.

Comentário ao Evangelho
QUERO MISERICÓRDIA!
A censura dos fariseus por Jesus se ter sentado à mesa com os cobradores de impostos e os pecadores serviu de ocasião para explicitar um aspecto fundamental de sua ação missionária: no trato com as pessoas, buscava ser o máximo misericordioso, não se deixando levar por preconceitos, nem se desesperando quanto à possibilidade de conversão de seus interlocutores. Exatamente o contrário da atitude dos fariseus!
Como a missão de Jesus consistia em colocar-se a serviço dos pecadores, nada mais conveniente do que ser misericordioso para com eles. Sendo o Messias, podia dar-se ao luxo de assumir uma postura de juiz e condená-los desapiedadamente. Ou então, mantendo-se à distância, denunciar-lhes o pecado e tentar arrancá-los do mundo pecaminoso em que viviam. A opção de Jesus vai numa outra direção. Coloca-se no meio daqueles aos quais veio anunciar a salvação, exercendo sua missão mediante a partilha de vida. Este é o canal pelo qual o amor de Deus atinge aqueles que o preconceito religioso relegou à condição de malditos e condenados. Jesus salva pela misericórdia!
Sua ação pauta-se por uma lógica irrefutável: coloca-se entre os pecadores, por ter vindo para eles. Assim como os médicos vão em busca de pessoas doentes, Jesus vai ao encalço de quem, de fato, necessita ser salvo. Portanto, longe de estar agindo de maneira censurável, seu gesto é cheio de sentido divino.

Oração
Espírito de acolhimento, torna-me sensível e misericordioso, sobretudo, para com aqueles aos quais a salvação deve ser anunciada.
(O comentário do Evangelho é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado neste Portal a cada mês)
Sobre as Oferendas
Ó Deus, que nos assegurais os frutos dos vossos sacramentos, concedei que o povo reunido para vos servir corresponda à santidade dos vossos dons. Por Cristo, nosso Senhor.
Antífona da Comunhão
Bendize, ó minha alma, ao Senhor e todo meu ser, seu santo nome! (Sl 102,1).
Depois da Comunhão
Ó Deus, o Corpo e o Sangue de Jesus Cristo, que oferecemos em sacrifício e recebemos em comunhão, nos transmitam uma vida nova, para que, unidos a vós pela caridade que não passa, possamos produzir frutos que permaneçam. Por Cristo, nosso Senhor.

MISSA VOTIVA
SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS (Branco – Missal, pág. 382)
Oração do Dia
Ó Deus, que no coração do vosso filho, ferido por nossos pecados, nos concedestes infinitos tesouros de amor, fazei que lhe ofereçamos uma justa reparação, consagrando-lhe toda a nossa vida. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.
Sobre as Oferendas
Considerai, ó Deus, o indizível amor do coração do vosso amado Filho, para que nossas oferendas vos agradem e sirvam de reparação por nossas faltas. Por Cristo, nosso Senhor.
Depois da Comunhão
Ó Deus, que este sacramento da caridade nos inflame em vosso amor e, sempre voltados para o vosso Filho, aprendamos a reconhecê-lo em cada irmão. Por Cristo, nosso Senhor.
{{#if santo}} {{#santo}}
Santo do Dia / Comemoração (SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS)
{{/santo}} {{/if}}


VER EDIÇÃO COMPLETA
Notícia
Rádio e televisão: potencial de jornalismo local no Brasil
Sérgio Spagnuolo e Renata Hirota
Uma coisa é pessoas terem acesso a algum tipo de informação. Outra, é terem acesso a informações sobre o local onde vivem. Com a internet, as facilidades de abrir um navegador e saber o que se passa no Congresso Nacional permitiram com que as pessoas saibam todos os pormenores na política nacional. Todos os bastidores, os processos no Ministério Público, as opiniões de magistrados e acesso a dados minuciosos sobre gastos parlamentares.Saiba mais

0 comentáriosO Atlas da Notícia em 2018

Equipe do Observatório da Imprensa
A segunda edição do Atlas da Notícia prevê a atualização e expansão da base de dados estatísticos coletados inicialmente em 2017. Publicados pelo Observatório da Imprensa, todos os dados e análises são abertos ao público. Saiba mais

Novo relatório do Atlas da Notícia aponta que 50 milhões de brasileiros vivem em deserto de rádio e TV locais
Volt Data Lab
Neste novo relatório, mostramos como 50 milhões de brasileiros (cerca de 25% da população) vivem em cidades onde não há presença registrada de emissoras de rádio nem de televisão, dois veículos que possuem uma penetração muito significativa no interior do país. Saiba mais


Código informativo

A nova função da notícia na guerra por corações e mentes
Carlos Castilhoa

Vocês já notaram como a TV Globo aumentou a frequência na divulgação de mensagens não comerciais envolvendo temas como direitos da mulher, respeito às diversidade social, igualdade de sexos, importância do agronegócios? Saiba mais
Novembro de 2017
Conheça a primeira fase do Atlas da Notícia
Equipe do Observatório da Imprensa

A primeira etapa do Atlas da Notícia foi lançada em novembro de 2017 na edição especial 965 do Observatório da Imprensa. Reveja os principais conteúdos daquela edição. Saiba mais
Checagem de informações
OIT ainda analisa denúncia sobre reforma trabalhista</a
Equipe da Agência Pública

A reforma trabalhista alterou disposições da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e tem sido alvo de críticas, intensificadas desde que as mudanças entraram em vigor, em novembro de 2017. Saiba mais
Entre o clientelismo e o menor esforço
O jornalismo local falha com a democracia
Eduardo Nunomura
Uma imprensa local fraca implica em uma democracia nacional fraca? Essa questão me perseguiu (e ainda persegue) por anos e fiz dela meu objeto de pesquisa na Universidade de São Paulo. Saiba mais

the W.post

Posted: July 5, 2018 in the washington post __, world midia



The Washington PostDemocracy Dies in DarknessThe morning’s most important stories, selected by Post edit 

Today's Headlines 

Trump’s trade war with China is about to begin. Analysts say it won’t be pretty.

</a class=”m_2335579220583500350blurb” align=”left” bgcolor=”#ffffff”>President Trump’s first tariffs are set to hit $34 billion of Chinese imports on Friday, and Beijing plans to respond swiftly with levies on an equal amount of goods. So would begin an unprecedented commerce battle between the world’s two largest economies — a conflict analysts fear could rattle markets and cripple trade.

By Danielle Paquette and Emily Rauhala  •  Read more »

 

ADVERTISEMENT
the Trump Supreme Court pick who’d pose the biggest danger t

Liberals hoping to block Trump’s pick for high court target two GOP senators

Political strategists will go back to the tactics they used last year to defend the Affordable Care Act, with ads and grass-roots activism focused heavily on convincing Republican Sens. Lisa Murkowski (Alaska) and Susan Collins (Maine), to buck the president again.
</a class=”m_2335579220583500350byline” align=”left” valign=”top” bgcolor=”#ffffff”>By Michael Scherer  •   Read more »

j
the centrist heavenly chorus is off-key

 

 

This decorative trim from Gadara’s ancient Nymphaeum (a public fountain

madura indignação__

Posted: July 4, 2018 in Uncategorized

Carta aberta de uma senhora idosa aos ministros do STF 

26/06/2018 às 17:13


Exmos. Senhores Ministros do Supremo Tribunal Federal,
É com sofrimento na alma, mas de forma respeitosa que venho lhes perguntar:
A nação brasileira está em frangalhos, destruída de forma ignóbil e o povo esmagado pelo poder político.
1 – Será este o conceito de democracia que o STF prega e admite?
2 – Será isto que nossa humilde constituição previu, quando foi elaborada?
3 – Serão os senhores, os legítimos defensores da lei? Ou não serão por acaso meros interpretes da vontade dos grupos que os colocaram aí?
4 – O poder emana do povo ou não doutores?
Somos ou não somos todos iguais perante a lei?
A JUSTIÇA ANTES DE TUDO DEVE SER JUSTA !
Enquanto o amor constrói doutores, a luxúria, a ganância, a luta pelo poder destrói e nos mata aos poucos.
Por que tanta ostentação no STF e nos demais poderes? 
Um sentimento de humilhação, impotência baixa sobre nós a plebe ignara, quando os vemos entrar vestidos como reis, com suas capas negras (togas) impolutas e os servos puxando as cadeiras, para que vossas majestades tomem assento.
Nos choca também, políticos exibindo carros, aviões, hotéis, restaurantes de luxo (até para amantes) pago por nós, os vassalos da REPÚBLICA REAL DO BRASIL.
Enquanto isto, vários de nós mal temos alimentação, nossos entes queridos morrendo nas portas de hospitais por falta de medicamentos, médicos ou leitos.
Crianças sem escola, promovidas sem conhecimento básico, pois a orientação é fazer a fila andar.
Desemprego galopante, seres humanos se matando por depressão, de vergonha, de desespero, pois não suportam ver os filhos vivendo em penúria extrema.
Enquanto isto, políticos sentados também em tronos do poder criam bolsas esmolas, que também são usadas como meio de corrupção ou eleitoreiros.
Como idosa cidadã brasileira, convido-vos, para esquecerem um pouco suas vidas e vaidades, descerem do pedestal, despirem-se dos seus mantos e virem conhecer o verdadeiro Brasil.
Aquele que levanta de madrugada, pega 3 tipos de transportes diferentes, para chegar ao trabalho e no final do mês, deixa metade do seu salário, para pagar impostos do Legislativo e executivo.
E ainda por cima carregam 40 ministérios, 580 Deputados, mais de 80 senadores e milhares de assessores e asseclas sustentados pela quase miserável classe média .
É JUSTO ISSO?
UMA PÁTRIA SEM IRMÃO, SEM RAZÃO, COM CORRUPÇÃO, SEM EDUCAÇÃO E SEM CORAÇÃO.
Dividida e repartida, sem bandeira e sem brasão. E políticos e empresários corruptos, sendo soltos da prisão, por um grupo do STF, que impede que a justiça cumpra a sua missão.
Minha gratidão àqueles que estão favoráveis e lutando pelos brasileiros.
EU AMO O BRASIL PROFUNDAMENTE EM VERDE E AMARELO.
(Texto de dona Riquelme Silva)
da Redação


Religião Liturgia Diária
Dia 29 de Junho – Sexta-feira
XII SEMANA DO TEMPO COMUM (Verde – Ofício do Dia)

Antífona de Entrada
O Senhor é a força de seu povo, fortaleza e salvação do seu ungido. Salvai, Senhor, vosso povo, abençoai vossa herança e governai para sempre os vossos servos (Sl 27,8s).

Oração do dia
Senhor, nosso Deus, dai-nos por toda a vida a graça de vos amar e temer, pois nunca cessais de conduzir os que firmais no vosso amor. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Leitura (2 Reis 25,1-12)
Leitura do segundo livro dos Reis.
25 1 No ano nono de seu reinado, no décimo dia do décimo mês, Nabucodonosor veio com todo o seu exército contra Jerusalém; levantou seu acampamento diante da cidade e fez aterros em redor dela.
2 O cerco da cidade durou até o décimo primeiro ano do reinado de Sedecias.
3 No nono dia do (quarto) mês, como a cidade se visse apertada pela fome e a população não tivesse mais o que comer,
4 fizeram uma brecha na muralha da cidade, e todos os homens de guerra fugiram de noite pelo caminho da porta que está entre os dois muros, junto do jardim do rei. Entretanto, os caldeus cercavam a cidade. Os fugitivos tomaram o caminho da planície do Jordão,
5 mas o exército dos caldeus perseguiu o rei e alcançou-o nas planícies de Jericó. Então as tropas de Sedecias o abandonaram e se dispersaram.
6 O rei foi preso e conduzido a Rebla, diante do rei de Babilônia, o qual pronunciou sentença contra ele.
7 Degolou na presença de Sedecias os seus filhos, furou-lhe os olhos e o levou para Babilônia ligado com duas cadeias de bronze.
8 No sétimo dia do quinto mês, no décimo nono ano do reinado de Nabucodonosor, rei de Babilônia, Nabuzardã, chefe da guarda e servo do rei de Babilônia, entrou em Jerusalém.
9 Incendiou o templo do Senhor, o palácio real e todas as casas da cidade.
10 E as tropas que acompanhavam o chefe da guarda demoliram o muro que cercava Jerusalém.
11 Nabuzardã, chefe da guarda, deportou para Babilônia o que restava da população da cidade, os que já se tinham rendido ao rei de Babilônia e todo o povo que restava.
12 O chefe da guarda só deixou ali alguns pobres como viticultores e agricultores.
Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial 136/137
Que se prenda a minha língua ao céu da boca
se de ti, Jerusalém, eu me esquecer
!

Junto aos rios da Babilônia
nos sentávamos chorando,
com saudades de Sião.
Nos salgueiros por ali
penduramos nossas harpas.

Pois foi lá que os opressores
nos pediram nossos cânticos;
nossos guardas exigiam
alegria na tristeza:
“Cantai hoje para nós
algum canto de Sião!”

Que se cole a minha língua
e se prenda ao céu da boca
se de ti não me lembrar!
Se não for Jerusalém
minha grande alegria!

Evangelho (Mateus 8, 1-4)
Aleluia, aleluia, aleluia.
Cristo tomou sobre si nossas dores, carregou em seu corpo as nossas fraquezas (Mt 8,17).
Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.
8 1 Tendo Jesus descido da montanha, uma grande multidão o seguiu.
2 Eis que um leproso aproximou-se e prostrou-se diante dele, dizendo: “Senhor, se queres, podes curar-me”.
3 Jesus estendeu a mão, tocou-o e disse: “Eu quero, sê curado”. No mesmo instante, a lepra desapareceu.
4 Jesus então lhe disse: “Vê que não o digas a ninguém. Vai, porém, mostrar-te ao sacerdote e oferece o dom prescrito por Moisés em testemunho de tua cura”.
Palavra da Salvação.

Comentário ao Evangelho
QUERO FICAR LIMPO!
O desejo do leproso de ser purificado tem dupla dimensão. Uma toca o nível fisico-corporal, a outra, um nível mais profundo, que podemos chamar de espiritual. Quando o homem aproximou-se e reconheceu que, se Jesus quisesse, poderia curá-lo, estava pensando apenas no primeiro nível. Entretanto, foi atendido muito além de suas expectativas. Foi purificado também de uma contaminação que, talvez, não chegava a perceber, pois era. uma impureza imperceptível para os olhos.
A cura imediata da lepra representou para aquele homem algo de espetacular. Doravante, poderia recuperar sua cidadania religiosa e civil, deixando de ser um marginalizado, um excluído pelo preconceito social. Dera um primeiro passo na direção da re-humanização!
Jesus, porém, queria muito mais. Estava interessado em purificar o que deveras contamina as pessoas e o desumaniza: o seu coração. Dele provém toda sorte de maldade e injustiça, frutos do egoísmo que afastam o ser humano de Deus e o impedem de ter um relacionamento fraterno com o próximo. Importa, sobretudo, que a misericórdia de Jesus torne puro o mais íntimo do ser humano. A cura da lepra tornou-se, de certo modo, secundária, se comparada com esta cura mais radical. Que adianta ser sadio, não estar contaminado por doenças, se o coração está maculado pelo egoísmo?

jesus entre fieis

Oração
Pai, purifica o meu coração, de modo que esteja a salvo do egoísmo desumanizador.
(O comentário do Evangelho é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado neste Portal a cada mês)
Sobre as Oferendas
Acolhei, ó Deus, este sacrifício de reconciliação e louvor e fazei que, purificados por ele, possamos oferecer-vos um coração que vos agrade. Por Cristo, nosso Senhor.
Antífona da Comunhão
Todos os olhos, ó Senhor, em vós esperam e vós lhes dais no tempo certo o alimento (Sl 144,15).
Depois da Comunhão
Renovados pelo Corpo e Sangue do vosso filho, nós vos pedimos, ó Deus, que possamos receber um dia, resgatados para sempre, a salvação que devotamente estamos celebrando. Por Cristo, nosso Senhor.


Início » Listas » Jéssica ChiareliViaje pelo Brasil com a principal comida típica de cada Estado

Viaje pelo Brasil com a principal comida típica de cada Estado
Viaje pelo Brasil com a principal comida típica de cada Estado
Por Jéssica Chiareli
em Listas
A culinária é parte importante da cultura de um povo. Prova disso são os pratos típicos do Brasil, que representam as diferentes nuances dos conhecimentos, crenças e costumes de seus habitantes. Pensando nisso, a Bula selecionou comidas típicas de todas as regiões do país. A lista inclui um prato para cada estado brasileiro e o Distrito Federal. Não foram consideradas as receitas que já estão amplamente difundidas e reconhecidas, como o pão-de-queijo de Minas Gerais, o acarajé baiano, e a buchada de bode, que é típica de todo o Nordeste. É importante destacar que a lista não obedece a critérios classificatórios, e, além disso, não tem intenção de ser definitiva ou universal.
Acre, Baixaria
Acre, Baixaria
O prato, que faz parte do café da manhã dos acreanos, é preparado com cuscuz, carne moída, cheiro-verde e ovo frito. Ele é extremamente calórico, e garante uma refeição mais do que reforçada.

Alagoas, Sururu de Capote

Alagoas, Sururu de Capote
A iguaria tipicamente alagoana tem como base o sururu, molusco encontrado em águas doces, que é cozido dentro da concha com outros temperos. Normalmente, acompanha pirão e purê de mandioca.Amapá, Pescada de gurijuba
Amapá, Pescada de gurijuba
A gurijuba é um peixe consumido em todos os estados da região Norte. No entanto, é pescado principalmente no Amapá. Por isso, é considerado símbolo da culinária local. Ele é usado em mais de 70 receitas: assado, cozido, defumado, entre outros.
Amazonas, Tapioca de tacumã
Amazonas, Tapioca de tacumã
No Amazonas, a tradicional tapioca leva um recheio local: o tucumã. O fruto de coloração amarelada é extraído de uma palmeira. A sua parte externa, suculenta, é utilizada em algumas receitas, entre elas, a tapioca, cujo recheio pode acompanhar também queijo coalho.Bahia, Vatapá
Bahia, Vatapá
A receita do Vatapá pode incluir camarões, azeite de dendê, amendoim, castanha de caju, farinha de mandioca e leite de coco. Todos os ingredientes são unidos em uma mistura, levada ao fogo para engrossar.Ceará, Peixada cearense
Ceará, Peixada cearense
O cozido de peixe servido com pirão e farinha é um dos símbolos da culinária cearense. Tamanha a sua representatividade, está presente desde os restaurantes mais simples até aqueles mais requintados.
Distrito Federal, Pizza de muçarela acompanhada de chá mate gelado
Distrito Federal, Pizza de muçarela acompanhada de chá mate gelado
Brasília é uma cidade planejada e relativamente nova. Por isso, a sua culinária é formada basicamente por práticos típicos de outras regiões no Brasil. Uma tradição culinária específica do local, entretanto, são as pizzas de muçarela acompanhadas de chá mate servidas por uma rede de pizzarias que nasceu com a capital.Espírito Santo, Muma de siri
Espírito Santo, Muma de siri
Siri é um dos ingredientes mais característicos da culinária capixaba. No prato típico, o crustáceo é ensopado com tomate, cebola e temperos. Farinha de mandioca é utilizada para engrossar o caldo, e o resultado é de dar água na boca.
Goiás, Arroz com pequi
Goiás, Arroz com pequi
Pequi é um fruto nativo do cerrado brasileiro. Em Goiás, ele é utilizado em diversas receitas. Uma das mais conhecidas é o arroz com pequi. De coloração amarelada e gosto bastante específico, ele empresta aos grãos um sabor completamente diferente.
Maranhão, Arroz de cuxá
O prato teve influência de diversas culturas: indígena, portuguesa, francesa, árabe, entre outras. O seu principal ingrediente, além do arroz, é a vinagreira, uma erva bastante utilizada na culinária local

.Maranhão, Arroz de cuxá