Archive for the ‘ação social’ Category

pacto

Posted: May 17, 2019 in ação social, politica e debates_

<Preparamos um conteúdo especial com artigos, eventos e novidades da nossa rede. 

Notícias do Pacto pela Democracia
N. 40 | 16 de maio de 2019

Autoritarismo no Brasil O pesquisador da UFMG Roberto Andrés concedeu uma entrevista em que analisa o atual momento político brasileiro e os riscos do autoritarismo, além de citar iniciativas que têm surgido na sociedade civil, entre elas o Pacto.
Autoritarismo no mundo Em entrevista para a BBC News Brasil, a pesquisadora holandesa Marlies Glasius alerta para as novas faces do totalitarismo à direita e à esquerda no mundo.
Crise? A maneira com que a crise da democracia tem sido tratada na esfera pública é objeto de 
crítica do cientista político polonês Adam Przeworski.
Monitoramento Uma
página preparada pelo portal G1 permite que as pessoas acompanhem os votos de seus representantes na Câmara dos Deputados e no Senado Federal.

Competitividade O
Centro de Liderança Pública – CLP realiza o Prêmio Excelência em Competitividade, na gestão estadual, com inscrições abertas até o dia 19/06.

Seleção RAPS – Rede de Ação Política pela Sustentabilidade abriu pré-inscrições para o seu 8º processo seletivo, voltado a interessados em atuar diretamente na política institucional, através de cargos eletivos.
Celebração O CENPEC – Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária celebrou na última semana o seu aniversário de 32 anos e estreou um novo portal.
Mulheres O Instituto Update viajará por 6 países conversando com mulheres eleitas que estão transformando a política na América Latina. A página Emergência Política Mulheres traz mais detalhes sobre o projeto.

Hoje a Lei de Acesso à Informação completa 7 anos e diversas organizações da nossa rede realizam o evento “Transparência a Sete Chaves: Como romper as barreiras do acesso à informação no Brasil“, às 19h, em São Paulo.
Reinauguração A Fundação Tide Setubal vai reinaugurar no dia 17 o Galpão ZL, em São Paulo. O evento contará com uma feira de empreendedores locais, rodas de conversa e oficinas.
Confirmada a realização da Virada Política 2019, após a campanha de financiamento coletivo conseguir bater a meta de arrecadação. O evento ocorre no dia 30 de junho, em São Paulo.
</
Clique no botão abaixo e receba por WhatsApp as novas edições desta newsletter

MANDE UM ‘OI’Então clique aqui e inscreva-se
Não custa nada e você ainda ficará atualizado sobre temas importantes #PelaDemocracia!

Clique nos botões abaixo e siga o Pacto pela Democracia nas mídias sociaishttps://www.facebook.com/pactopelademocracia/https://twitter.com/_pelademocraciahttps://www.instagram.com/pactopelademocracia/https://www.pactopelademocracia.org.br/

O Pacto pela Democracia é uma plataforma de ação conjunta, que conta com 100 organizações da sociedade civil, além de lideranças públicas e políticas de diversos campos. Prezamos pela pluralidade de visões e áreas de atuação na construção da democracia. Você está recebendo este e-mail porque participou de algum evento, campanha ou ação do Pacto pela Democracia. Caso não queira receber mais estes emails, basta se descadastrar por aqui. 

Nenhuma descrição de foto disponível.

 

 

Advertisements

post em
Dilma Resistente

moc _

Posted: May 7, 2019 in ação social, capacitação, cidadania

MOC por  sendgrid.netter, 30 de abr 17:10 (há 7 dias)
Nº 628: 30 de abril de 2019:  Feira de Santana-BA

LANÇAMENTO
Lançamento da Frente Parlamentar em Defesa da Convivência com o Semiárido aconteceu em Brasília
Aconteceu na manhã desta quarta-feira, 24 de abril, na Câmera dos Deputados, em Brasília, o Lançamento da Frente Parlamentar em Defesa da Convivência com o Semiárido, reunindo representantes de movimentos sociais, de entidades da sociedade civil e parlamentares. “O objetivo principal é chamar a atenção sobre a importância de manter os programas e políticas de Convivência com o Semiárido, no orçamento do governo federal no próximo Plano Plurianual (2020-2023) ”. A Bahia esteve presente através do Coordenador da ASA-BA Naidison Baptista, o técnico do Movimento de Organização Comunitária (MOC) Clécio Lima e a agricultora Milena Souza, do município de Serra Preta, acompanhada pelo MOC por meio da Assistência Técnica e Extensão Rural. Para a agricultora Milena Souza a Frente Parlamentar em Defesa do Semiárido é uma das formas de fortalecer as políticas em defesa da agricultura familiar. “Essa iniciativa me deixou com esperança e a certeza que temos parlamentares em defesa do nosso semiárido. Diante de um cenário onde estamos sofrendo tantos retrocessos, precisamos nos manter unidos e lutar juntamente com as instituições, que acreditam em dias melhores para o nosso semiárido”, ressaltou a agricultora. Vale ressaltar, que mesmo diante de conquistas e grandes transformações na região semiárida, com as ações de acesso à água para famílias agricultoras, através da captação e armazenamento de água, ainda há uma forte demanda de famílias sem cisternas que armazenam água para consumo humano e sem tecnologias que guardam água para produção de alimentos e criação animal. 
Leia matéria completa no site do MOC.
TECNOLOGIA
Feira de Santana teve experimento da tecnologia criada por jovem da Bahia que levou Prêmio nos EUA
A jovem Anna Luisa Santos, de 21 anos, que se formou em Biotecnologia pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) em 2018, que criou uma tecnologia, batizada de “Aqualuz”, para filtrar água através da luz solar em regiões do Semiárido e levou prêmio nos EUA, junto a outros três estudantes que abraçaram a ideia, uma premiação de R$ 25 mil, com o segundo lugar na competição HackBrazil, evento brasileiro de tecnologia, em Boston (EUA), que premia iniciativas empreendedoras. A final aconteceu no dia 5 de abril durante a Brazil Conference, reunindo 400 startups de tecnologia na competição. A criação do sistema de filtragem sustentável, para ser ligado a cisternas que utiliza radiação solar, para tornar a água contaminada própria para consumo, em regiões que passa por logos períodos de estiagens, teve experimento implementado em cidades de quatro estados do Brasil, entre elas, na Bahia, o experimento foi feito no município de Feira de Santana, em cisternas de placas da família de Maria Normelia de Freitas comunidade Lagoa Grande, e outra da família de Lúcia Santana, comunidade Lagoa da Negra, ambas as comunidades do distrito de Maria Quitéria, que são acompanhadas pelo técnico Itamar Alves por meio da Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER) pelo Movimento de Organização Comunitária (MOC) em parceria com a Cooperativa de Consultoria Pesquisa e Serviços de Apoio ao Desenvolvimento Rural Sustentável (COOPESER). Segundo o técnico Itamar Alves que acompanhou a jovem, na implementação do experimento, foram quatro visitas nas cisternas das famílias, que receberam a tecnologia com muito gosto e curiosidade para saber sobre os benefícios poderia lhes proporcionar. 
Leia matéria completa no site do MOC.
FORMAÇÃO
Formação de Agentes Comunitários Rurais e Agentes Comunitários de Apicultura foi realizada em Santaluz
O Movimento de Organização Comunitária (MOC) realizou nos dias 23 e 24 de abril, no município de Santaluz, uma Formação dos Agentes Comunitários Rurais (ACR’s) e Agentes Comunitários de Apicultura (ACA’s), uma ação do projeto Bahia Produtiva, desenvolvido pelo Movimento de Organização Comunitária MOC, em parceria com a Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), Governo da Bahia. A atividade contou com a participação de 18 agentes ACR’s e ACA’s, os que já estavam no projeto I junto a novos integrantes que somaram a equipe para o projeto II. E foi conduzida pela técnica Reinilda Santos, o técnico Ivamberg Silva e a veterinária Josimari Alves, que fazem parte da equipe do Bahia Produtiva do MOC. A formação seguiu a luz de alguns propósitos como: promover a integração entre os agentes antigos e novos na dinâmica de execução do Bahia Produtiva, de modo que haja troca de saberes e fazeres, bem como de ânimo e disposição para retroalimentar a caminhada de quem já está em marcha e fortalecer aqueles/as que chegam para se juntar no caminho, bem como refletir sobre as corresponsabilidades individuais numa dinâmica de trabalho com entregas coletivas, como ainda Conhecer e profundar o Termo de Referência dos Agentes Comunitários Rural e Agentes Comunitários de Apicultura para reconhecimento das responsabilidades e serem assumidas na execução do projeto. Além disso, fez a retomar e aprofundar o conhecimento sobre os componentes políticos/pedagógicos (ações previstas) e as ferramentas de gestão da execução do projeto (diagnóstico e lançamento, atestes individuais e coletivos, projeto produtivo, planejamento e monitoramento mensal, assessoria às entidades [atas, cotação de preço e prestação de contas]). 
Leia matéria completa no site do MOC.
ASSEMBLEIA
MOC participou de Assembleia Codeter da Bacia do Jacuípe
O Movimento de Organização Comunitária (MOC) participou na última terça-feira (23) de abril, no município de Capim Grosso, através das técnicas Daiane Xavier, Margarida Souza, Sara Geisa e Sidineia Queiroz, da Assembleia Geral do Colegiado de Desenvolvimento Territorial (CODETER) do Território Bacia do Jacuípe. O momento foi conduzido pelo atual presidente do conselho de administração Hélio Alves, que apresentou o relatório da gestão 2017-2019, destacando avanços das ações previstas principalmente com a parceria da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), Governo do Estado da Bahia. Ocorreu ainda algumas alterações no regimento interno do CODETER, no que se refere as normas eleitorais, discussão bastante produtiva, na qual definiu que cada entidade filiada deverá apresentar lista tríplice composta por homem, mulher e jovem de forma que obedeça ao estatuto, que preza pela participação equivalente de gênero. Na oportunidade instituiu a Comissão Eleitoral que irá organizar e conduzir a Eleição da diretoria, que está composta por cinco pessoas, sendo duas representando o poder público e três a Sociedade Civil. E assim, serão analisadas solicitações de filiação enviadas ao Colegiado, além disso, avaliará também a participação das filiadas nas atividades deste Colegiado, visando cumprir a norma estatutária que prevê o voto para entidades que estejam participando ativamente. Para Sara Geisa é importante fortalecer este espaço, pois é através dele que discutimos a política de desenvolvimento territorial, que busca estratégias efetivas para sanar as diversas necessidades ambientais, educacionais, sociais, entre outras.
SEMINÁRIO
MOC participou de Seminário Municipal sobre as perspectivas da Juventude Rural em Ichu
Na sexta-feira (26) de abril, teve Seminário Municipal sobre as perspectivas da Juventude Rural na Construção de um Sertão Justo no município de Ichu. Uma multiplicação do Seminário Regional que faz parte das ações do MOC em parceira com a Actionaid e contou com apoios locais. “Somos semente de uma nova Nação”. Essa força juvenil que caminhou na atividade envolvendo muitas dinâmicas, reflexões, prosas, debates e trabalhos em grupos sobre as lutas da juventude por mais oportunidades e direitos que devem ser garantidos pelas políticas públicas. Desse modo, temas como inclusão do jovem com necessidades especiais, protagonismo, empreendedorismo violência de gênero, entre outros, foram pautas importantes neste dia, na linha da construção do Sertão Justo, apontando os desafios e as resistência nessa caminhada. Watson Santana portador de deficiência visual, estudante de pedagogia na UNEB campus XI Serrinha, sobre o direito à acessibilidade que precisa ser garantido através de órgãos públicos ou privados, para gerar as diversas mudanças nas condições de acesso a aos espaços, permitindo aos portadores de deficiência uma maior aproximação aos serviços prestados à coletividade.
Visite-nos nas redes sociais: Facebook do MOC 
Site do MOC #2018MOCMaisde50anos
#PorUmSertaoJusto


Notícia
Medium f99c587c615b25288507f6a08b2cacc4Aracaju caminha para ser a capital do Nordeste com maior cobertura de esgoto

Início

Notícias

Desenvolvimento Urbano

Duas novas estações de tratamento estão sendo construídas na capital e beneficiarão cerca de 250 mil famílias nas zonas Norte e Oeste da capital sergipana

02 de Maio de 2019 | 16:53

Há dez anos, apenas 30% da capital sergipana tinha cobertura de esgotamento sanitário. Hoje, o número subiu para 63%. Isso é reflexo dos grandes investimentos que o Governo do Estado, por meio da Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso), têm realizado em Aracaju. Ao todo, já foram mais de R$ 500 milhões empenhados em obras de saneamento básico em toda a cidade na última década, tendo 4 estações de tratamento de esgoto em pleno funcionamento e outras duas em construção. Em uma delas, no bairro Jabotiana, estão sendo investidos R$ 150 milhões, o que elevará para 90% o atendimento em saneamento básico da pequena mais charmosa do Brasil.
Essa estação, que beneficiará 120 mil moradores e também atuará na despoluição do Rio Poxim, tem prazo de 540 dias para ser concluída. Dentro dos valores para a realização de serviços que beneficiarão os aracajuanos, também estão R$ 73 milhões na construção de uma estação de tratamento na Zona Norte. Quando finalizada, a unidade alcançará 130 mil pessoas em 12 bairros. A conclusão das estações colocará Aracaju como a única capital do Nordeste a ser coberta com mais de 90% de serviços de saneamento básico e esgotamento sanitário.Medium 76d1a9b0fe5ded76a50d0a910b5479c5
As estações têm o objetivo de coletar e acelerar o processo de purificação da água antes de ser devolvida ao meio ambiente. Em Aracaju, segundo o diretor-presidente da Deso, Carlos Melo, todo material coletado é tratado. “Mais de vinte frentes de trabalho executam ações de saneamento em toda a cidade. Aracaju tem crescido muito, mas as ações da Companhia têm acompanhado este crescimento. Aqui fazemos a coleta e o tratamento. O descarte é feito de acordo com as normativas ambientais. Tudo é tratado antes de voltar para o meio ambiente”, garante.
Tratamento de esgoto
Sergipe é um dos poucos estados que cobram 80% pela taxa de esgoto. Outras regiões, como Alagoas, Goiás, Minas Gerais e o Distrito Federal, por exemplo, têm taxas acima dos 95%.  “Aqui no estado, essa taxa é destinada à operação, manutenção e investimentos nos bairros. Mas isso tem respaldo legal. E isso está bem específico na lei federal nº 11.445/2007, que dispões das diretrizes de saneamento básico”, informa Carlos Melo.
A lei citada pelo diretor-presidente diz, em seu artigo 45, que “as  edificações permanentes urbanas serão conectadas às redes públicas de abastecimento de água e de esgotamento sanitário disponíveis e sujeitas ao pagamento de taxas, tarifas e outros preços públicos decorrentes da disponibilização e da manutenção da infraestrutura e do uso desses serviços.”
Além disso, o texto explica que “o usuário, além de estar obrigado à pagar a tarifa pela simples disponibilização, caso não realize e a interligação do seu esgoto à rede pública, ainda está sujeito às responsabilidades penais (crime ambiental) e administrativas (pagamento de multas perante os órgão ambientais)”.
Esgotamento sanitário em Sergipe
No ano de 2017, o estado era o terceiro da região Nordeste em número de domicílios com esgotamento sanitário ligado à rede de distribuição. O levantamento, apresentado pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD Contínua), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), apontava que 53,6% das residências eram atendidas. Ficando atrás apenas dos estados de Pernambuco (com 60,6%) e Bahia (55,8%).
A pesquisa ainda revela que dos quase 800 mil domicílios de Sergipe, 94% (cerca 730 mil) possuem água canalizada. Número superior à média nordestina, que é de 92,2%, e quase a média nacional, que hoje é 97%.
Ainda dentro dos serviços executados na capital nos últimos anos, os bairros Farolândia, Augusto Franco, Coroa do Meio, Atalaia e Grageru, Aruana, Santa Tereza, Costa do Sol, Beira Mar e Aeroporto foram contemplados com sistemas de esgotamento sanitário. Beneficiando quase 100 mil habitantes.“Toda implantação de esgotamento sanitário que fazemos segue alinhada com o tratamento adequado. Ou seja: além de termos o serviço de fornecimento de água e coleta de esgoto, nós também damos o devido tratamento a tudo que passa por nossas redes”, acrescentou Carlos Melo.Medium 4e2f778e9b76f4405d53df9c73e32e61

moc

Posted: April 24, 2019 in ação social, capacitação

MOC por 
Nº 627: 23 de abril de 2019:  Feira de Santana-BA
REUNIÃO
Conselho Estadual da Criança e do Adolescente realizou reunião para planejamento estratégico
O Conselho Estadual da Criança e do Adolescente (CECA), realizou hoje, 17, uma reunião junto aos conselheiros/as, no salão Hotel Golden Park, no município de Salvador. O objetivo do evento foi realizar o Planejamento Estratégico, a partir dos principais problemas enfrentados por crianças e adolescentes. Para o Planejamento Estratégico 2019-2022 foi trabalhado cinco eixos de ação: 1. Promoção Direitos da Criança e Adolescente; 2. Defesa; 3. Proteção; 4. Gestão das Políticas e 5. Participação de Criança e Adolescente. Em cada eixo os grupos construíram os principais desafios-problemas, objetivos, estratégias, ações/atividades/responsáveis, prazos, indicadores e meios de avaliação e monitoramento. Para Vera Carneiro, presidente do CECA e coordenadora do Programa de Educação do Campo Contextualizada do Movimento de Organização Comunitária (MOC), fez uma avaliação positiva do evento. “Foi um momento muito importante para o CECA na Bahia, pois construir seu planejamento estratégico contando com a participação de conselheiros, suplentes e adolescentes dos Territórios do estado avaliando as condições reais para poder fortalecer a rede de proteção dos direitos de criança e adolescente no Estado da Bahia”, conclui Vera. O Planejamento vai servir para construção do Plano Decenal de Direitos da Criança e Adolescente.
SEMINÁRIO
MOC participou de Seminário Estadual sobre previdência
Aconteceu nos dias 16 e 17 de abril, em Feira de Santana, o Seminário Estadual sobre a Previdência: Estudos e Encaminhamentos, organizado pela Articulação Semiárido Brasileiro (ASA/BA), Articulação de Agroecologia da Bahia (AABA), Movimentos de Pequenos Agricultores (MPA), Fórum Baiano de Agricultura Familiar (FBAF) e Escolas Agrícolas. O objetivo foi realizar reflexões teórico prática sobre a reforma da previdência, além de discutir sobre políticas para a continuidade de ações que garantem acesso à água no Semiárido. As diversas organizações presentes, assumiram o compromisso coletivo de articular ações/atos em todos os territórios da Bahia, CONTRA O DESMONTE DA SEGURIDADE SOCIAL.
FORMAÇÃO
Equipe do PAPAA participou da oficina de formação para execução do Projeto Segunda Água
Parte da equipe do Programa de Água Produção de Alimentos (PAPAA), do Movimento de Organização Comunitária (MOC), participou hoje, 22, da oficina de formação para execução do Projeto Segunda Água, numa parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR) do governo do estado da Bahia. O objetivo foi dialogar, tirar dúvidas e explicar sobre a execução do contrato que fortalece a agricultura familiar através da implementação de tecnologias sociais de captação e armazenamento de águas da chuva para produção. As tecnologias de barreiros trincheira e cisternas de produção serão construídas nas comunidades dos municípios de Itapicuru, Nova Soure, Biritinga e Crisópolis. Para Mateus Carneiro, coordenador do projeto pelo MOC, ressalta a importância do projeto para às famílias agricultoras e destaca que “o MOC busca junto aos parceiros ações que melhorem a qualidade de vidas das pessoas do campo, mas o projeto não visa simplesmente a construção de tecnologias sociais de captação de água, como também a capacitação/formação das pessoas para o bom gerenciamento dos recursos hídricos e da produção sustentável dentro de uma perspectiva agroecológica”, conclui. O projeto Segunda Água proporciona o acesso à água para a produção agroalimentar e animal às famílias de baixa renda, aumentam a capacidade produtiva voltada para a segurança alimentar e nutricional potencializando desde a produção de frutas e hortaliças à criação de pequenos animais, como aves, caprinos e ovinos.
ENCONTRO
MOC  participa do  3° Encontro  Estadual de Sementes em Vitória da Conquista
style=”color:#333300;”>Começou nesta terça-feira (23) de abril e segue até a quarta (24), em Vitória da Conquista/BA, o 3° Encontro Estadual de Sementes, com o tema: Sementes da Terra, da Resistência e da Soberania, com o objetivo de fortalecer as redes de Bancos Comunitários de Sementes, como ainda discutir sobre as ameaças dos transgênicos, bem como avaliar as ações do programa Sementes do Semiárido, além de articular políticas públicas de sementes na Bahia. O Encontro conta com a ação do projeto Sementes do Semiárido e tem participação das organizações que compõem a ASA Bahia, a exemplo do Movimento de Organização Comunitária (MOC) que está sendo representado pela coordenadora do Programa Água, Produção de Alimentos e Agroecologia (PAPAA) Ana Dalva Santana, a técnica Taina Lima, como por agricultores e agricultoras dos municípios de Araci, Retirolândia e Nova Fátima.

CONVENÇÃO 30 ANOS
Adolescentes e jovens participam de oficina sobre a Mobilização Internacional em volta dos 30 anos da Convenção dos Direitos da Infância
“A Convenção dos Direitos da Infância completa 30 anos: e eu com isso? Realizada nos dias 10 e 11 de abril, pela Terre Des Hommes Suisse (TDH), em Salvador, envolvendo adolescentes e jovens comunicadores/a das entidades parceiras, a exemplo do MOC que foi representado por Alex Araújo, Breno Santiago e Camila Vitória Lima. A atividade visou apresentar ao Coletivo de Adolescentes e Jovens a proposta de mobilização internacional em torno dos 30 anos da Convenção dos Direitos da Criança e pactuar um Plano de Ação para garantir a participação do grupo na criação de estratégias de incidência por meio da elaboração de produtos de comunicação. O oficina foi muito produtiva e construtiva, em torno de reflexões, atividades e boas trocas de saberes e experiências, sobre a Mobilização Internacional em volta dos 30 anos da Convenção e o papel de TdH nesse contexto, reflexões sobre a Convenções e acordos internacionais de direitos, atual momento político do Brasil e a importância da participação de crianças, adolescentes e jovens, bem como a importância da comunicação para divulgar contra-narrativas, teve roda de conversa sobre a importância de produzir outras narrativas sob o ponto de vista de crianças, adolescentes e jovens, a partir dos disparadores, como ainda fazeres de suas próprias contra-narrativas para visibilizar os 30 anos da Convenção. Houve também a construção de Círculos de Paz e Justiça Restaurativa: uma proposta de continuidade e planejamento de retomada do quebra-cabeça-das-ações (olhar para ele, ver o que sai e o que fica), além do planejamento final para o plano de ação com: ações, responsáveis, prazos, recursos, parcerias, entre outros.

Visite-nos nas redes sociais:

Facebook do MOC
Site do MOC
#2018MOCMaisde50anos
#PorUmSertaoJusto
<AGENDE-SE
23/04- Assembleia do MMTR Regional- Serrinha;
23 e 24/04- Formação do ASR’s e ACA’s- Santa Luz;
24/04-Reunião de Conselho e Rede- Ichu;
24/04- Seminário Municipal sobre as perspectivas das Juventudes Rurais- Araci e Conceição do Coité;
25/04- Reunião com Conselho e Rede- Araci;
25/04- Assembleia Geral Extraordinária da Rede de Produtoras da Bahia- Feira de Santana;
25/04-Seminário Regional de apresentação das ações do Projeto de Expansão, Fortalecimento, Estimulo e Desenvolvimento das Finanças Solidárias – Feira de Santana;
26/04- Reunião do CDDM- Salvador

moc

Posted: March 28, 2019 in ação social, capacitação, cidadania

Nº 623: 26 de março de 2019:  Feira de Santana-BA
PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2019
MOC realizou Planejamento e Avaliação Institucional 2019
“Não tenho um caminho novo. O que eu tenho de novo é um jeito de caminha”, Thiago Mello. Foi com o espírito de ressignificar sua caminhada que o Movimento de Organização Comunitária (MOC) realizou na quinta-feira (21) de março, no município de Feira de Santana/BA, seu Planejamento e Avaliação Institucional do ano de 2019, referente às ações de suas áreas programáticas divididas em: Programa Água, Produção de Alimentos e Agroecologia (PAPAA), Programa de Desenvolvimento Institucional (PDI), Programa de Educação do Campo Contextualizada (PECONTE), Programa de Fortalecimento de Empreendimentos Econômicos Solidários (PFEES), Programa de Gênero (PGEN) e Programa de Comunicação (PCOM). A atividade deu inicio com uma belíssima mística sobre Jeito de Ser, levando a mensagem e reflexão do importante papel de quem corrobora intensamente para que o MOC contribua na transformação de vidas no Semiárido. Seguindo para abertura com as boas vindas e falas da Maria Vandalva Oliveira (Coordenadora Pedagógica do MOC) e Célia Firmo (Coordenadora Geral do MOC). E para começar os trabalhos do dia foi apresentado e relembrando para a equipe do MOC, pela Coordenadora Pedagógica a Matriz Estratégica Institucional, que se compõe pela sua Missão, Visão, Princípios e Valores, que baseia todo o processo de desenvolvimento das ações da instituição, processo esse que embasou a avaliação de cada área programática, construída em momentos anteriores e socializada nesse encontro, formando uma ‘Arvore’ com raízes, galhos, folhas e diversos frutos, que se resume aos feitos e efeitos da caminhada do MOC, assim como seus avanços, desafios e entraves, que diante das mudanças do cenário do país afetaram drasticamente o MOC.  Leia matéria completa no site do MOC.
 CONVÊNIO ECOFORTE
MOC assinou Convênio ECOFORTE com a Fundação Banco do Brasil
Um ato exitoso e importante de celebração aconteceu na manhã desta terça-feira (26) de março, na sede do Movimento de Organização Comunitária (MOC), Feira de Santana/BA, com a assinatura do Convênio ECOFORTE, entre o MOC e a Fundação Banco do Brasil, em parceria com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O ECOFORTE visa contribuir com organização de redes de empreendimentos, com disponibilidades de recursos para financiar a construção ou reforma de instalações, bem como a aquisição de máquinas, veículos e equipamentos, como ainda capacitações e serviços técnicos especializados, além de gestão e assistência técnica dos projetos apoiados, voltados para redes de organizações de extrativismo ou produção orgânica com base na agroecologia. Segundo a Coordenadora Geral do MOC Célia Firmo a elaboração do projeto para esse edital foi realizado em 2017, com entidades de todo Brasil e o MOC concorreu para apoiar grupos de mulheres da economia solidária e agricultura familiar que trabalham com a produção extrativista. “A ideia desse projeto é apoiar esses grupos para melhorar no processo de produção, com formações, mas também com aquisição de equipamentos (…). Por isso, o nome do projeto será Amigas da Caatinga, pois o projeto vai ser voltado para produção de alimentos e artesanatos, a partir do que a caatinga nos oferece, mas também o projeto visa proteger essa caatinga, a gente fazer o uso sustentável desses produtos”, frisou Célia Firmo. Leia matéria completa no site do MOC.
EXPOSIÇÃO
A Rede Arco Sertão Central assessorada pelo MOC realizou exposição
A Rede Arco Sertão Central assessorada pelo MOC, através do Programa de Fortalecimento de Empreendimentos Econômicos Solidários (PFEES), está expondo seus produtos oriundos da agricultura familiar e economia justa e solidária, no III Congresso Latino-Americano de Ecologia Política, em Salvador, Bahia, entre os dias 18 e 20 de março de 2019. “O tema deste III Congresso enfrenta o momento turbulento pelo qual passa a América Latina, com a emergência de governos autoritários e neoliberais e a aceleração das políticas extrativistas e de desnacioanlização dos recursos naturais. Frente ao giro reacionário, emergem insurgências decoloniais e lutas que recompõem horizontes emancipatórios. Novas ecologias de resistências que reconfiguram a práxis libertadora”.
VISITA
As mulheres da Associação Santoantoniense visitaram a a Cooperfatima
As mulheres da Associação Santoantoniense do Desenvolvimento Comunitário, do município de São Domingos, visitaram na terça-feira (19) de março, a Cooperfatima, no município de Nova Fátima, para aprender a produzir iogurte, produto que vem como potencial para o grupo, visto que São Domingos é um dos municípios que tem maior produção de leite na região. A Associação está sendo acompanhada pelo Projeto COOPERAÇÃO que faz parte do Programa de Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER) Mais Gestão, da Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (ANATER), Governo Federal, desenvolvido pelo o Movimento de Organização Comunitária (MOC), nos municípios do Território de Identidade do Sisal, na Bahia.
Visite-nos nas redes sociais:
Facebook do MOC
Site do MOC
#2018MOCMaisde50anos
#PorUmSertaoJusto
AGENDE-SE
26 e 27/03 – Intercâmbio Cisternas – Feira de Santana –
28 e 29/03 – Encontro de Coordenadores / Sensibilização do Baú de Leitura) – Feira de Santana

MOC realizou Planejamento e Avaliação Institucional 2019

moc

Posted: March 19, 2019 in ação social, cidadania

Boletim Informativo MOC – Nº 622: 19 de março de 2019
MOC Nº 622: 19 de março de 2019:  Feira de Santana-BA

MULHERES

Mulheres da Comunidade de Barbosa, município de Araci, na Bahia, participaram de Intercâmbio Interestadual e da Marcha pela Vida das Mulheres e pela Agroecologia que completa 10 anos de existência, no Território do Polo da Borborema, na Paraíba, nos dias 13 e 14 de março, através do Projeto Mulheres das Águas, desenvolvido pelo Movimento de Organização Comunitária (MOC), em parceria com a Actionaid Brasil e financiado Pelo Fundo Socioambiental da Caixa Econômica Federal. Segundo a técnica do MOC Ádila da Mata, o intercâmbio de troca de saberes e experiências na Paraíba, reuniu mulheres dos estados de Alagoas, Bahia e Pernambuco, oportunizando as mulheres conhecerem algumas experiências da região e levarem para suas vidas e produções agroecológicas. A primeira foi a de Dona Ligoria que teve sua vida transformada, a partir da marcha das mulheres e com a prática do arredor de casa, ela conhece e enfrenta todas as formas de opressões impostas e tira da sua propriedade seu sustento de forma agroecológica, e com muita generosidade partilha com as mulheres um pouco de suas vivências. Houve ainda, uma segunda visita, a um casal jovem que tem a agricultura como a principal renda da família, Delfino (26 anos) e Denise (24 anos), diferenciam a história de vida de outros jovens da região, e tiveram como escolha na vida a Convivência com o Seminário, porém salientam o quanto às vezes é difícil resistir nesse contexto. Uma terceira experiência foi de outro casal, que também prezaram pelos princípios da agroecologia e valorizam a oportunidade que a organização AS-PTA depositou em sua propriedade. Nina e Givaldo contaram com muita satisfação como é feita a produção da poupa, respeitando o tempo de cada fruta e valorizando a terra, sem adição de agrotóxicos.

Leia matéria completa no site do MOC. 
INTERCÂMBIO
Intercâmbio Intermunicipal marcou a Culminância do Projeto Cirandando pelos Direitos
“Cir’Andar foi o verbo conjugado por diferentes sujeitos de direitos, de diferentes idades, mas com um único desejo: construir um lugar melhor com a participação de todas as pessoas”. Esse foi o legado de cinco anos do projeto Cirandando pelos Direitos desenvolvido pelo Movimento de Organização Comunitária (MOC) em parceria com instituição alemã Kinder Not Hilfe (KNH), que realizou na segunda-feira (18) de março, no município de Retirolândia, um Intercâmbio Intermunicipal dos Aprendizados e Perspectiva da Garantia de Direitos de Crianças e Adolescentes nos municípios (Retirolândia e Santaluz), como ação para findar a culminância do projeto, que encerra um ciclo, que não quer dizer um fim de uma história, mas o começo de muitas construções, a partir dos saberes, fazeres e conquistas colhidas nessa caminhada, a exemplo desse dia que reuniu crianças, adolescentes, jovens multiplicadoras, pais/mães e lideranças comunitárias para compartilharem suas experiências e aprendizados. Desse modo, o Intercâmbio que contou com as comunidades de Jitaí (Retirolândia), Miranda, Mumcabinho e Rose (Santaluz), e foi marcado por trocas de aprendizados, acerca da garantia dos direitos de Crianças e Adolescentes nos municípios, bem como o compartilhamento de aprendizagens sobre Tecnologias de Comunicação implementadas nas comunidades pelas Crianças e Adolescentes, como ainda com o Lançamento da Cartilha de Sistematização do Cir’Andando pelos Direitos, além da elaboração e encaminhamento da Carta de Recomendações dos detentores de direitos para os detentores de deveres e parceiros. No primeiro momento, as comunidades mostraram em peças de comunicação, sobre os resultados de formações que somaram em suas vidas. Mucambinho deu início relatando em Programa de Rádio sobre os direitos conquistados, e como estes fazem a diferença na comunidade. Já Rose exibiu um vídeo abordando sobre o direito da mulher, tendo como protagonista Patrícia, que faz parte do Grupo de Produção da comunidade. Logo após, Miranda levou um Jornal Mural sobre os direitos que ainda estão negados na comunidade. Por último, Jitái seguiu a linha jornalística e encenou um Jornal Televisivo, ressaltando em reportagens o Reconhecimento Quilombola que conquistaram há pouco tempo, com corroboração do projeto.
Leia matéria completa no site do MOC.?
VÍNCULOS SOLIDÁRIOS
MOC realizou Jornada Formativa com integração de projetos de Vínculos Solidários
“Educar é impregnar de sentido o que fazemos a cada instante”, Paulo Freire.  Foi com esse olhar de fazer/trazer sentidos para as ações e fazeres no trabalho em campo de cada dia, desenvolvidos nas comunidades rurais com foco nas crianças e adolescentes, que o MOC realizou entre os dias 13 e 15 de março, no município de Conceição do Coité, uma Jornada Formativa Modular para Capacitação de Jovens Multiplicadores/as e equipe de apoio à execução dos projetos. A atividade foi organizada e conduzida pela técnica do MOC Cleonice Oliveira e a Coordenadora Pedagógica do MOC Vandalva Oliveira. Foram três dias à luz dos objetivos de compreender o processo metodológico participativo do MOC e seu desdobramento na prática social das equipes, bem como exercitar estratégias e métodos de motivação e incentivo à leitura contextualizada, com vistas ao trabalho das equipes com as Crianças e Adolescentes para elaboração das mensagens de fortalecimento dos Vínculos Solidários, como ainda refletir sobre diversidades, enfocando a representatividade racial e autoestima, assim como discutir e estimular a utilização de dinâmicas lúdicas/educativas na perspectiva do desenvolvimento infantil e suas diferentes fases, além de orientar a elaboração do planejamento operacional dos projetos na perspectiva do protagonismo infanto juvenil e o desenvolvimento das comunidades.
Leia matéria completa no site do MOC.
MAIS GESTÃO
Atividade do Mais Gestão refletiu possíveis Potenciais Compradores dos Empreendimentos Econômicos Solidários
Os Empreendimentos Econômicos Solidários assessorados pelo Projeto COOPERAÇÃO que faz parte do Programa de Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER) Mais Gestão, da Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (ANATER), Governo Federal, que vem sendo desenvolvido pelo o Movimento de Organização Comunitária (MOC), nos municípios do Território de Identidade do Sisal, na Bahia, participaram nesta quarta-feira (13) de março, no município de Serrinha, de uma Oficina Anual com Potenciais Compradores. A atividade seguiu o proposito de apoiar na aproximação, prospecção de oportunidades de mercado, diálogo, troca de informações entre os beneficiários e realização de negócios com gestores do PNAE Estadual, PAA Municipal, Centros Públicos de Economia Solidária e outras instituições envolvidas em processos de comercialização. Contando com a corroboração de André Ferreira (Técnico da Superintendência de Economia Solidária (SESOL), área de Coordenação de Divulgação e Fomento), Amanda Andrade (Programa Nacional da Alimentação escolar – PNAE Estadual), além de representantes da ASCOOB e do Banco do Nordeste para falar da linha de Crédito. Segundo Gisleide Carneiro (Assessora de Empreendimentos no Mais Gestão) esse momento de dialogar com Potenciais Compradores é um anseio dos empreendimentos, por isso, a ideia é orientar sobre espaços de comercialização e compradores, mas diretamente como chegar a conquistar avanços e diferentes mercados, destacando a gestão organizacional como o pilar para esse processo. “O Mais Gestão é um projeto de assessoria em seis áreas gerencias, principalmente nessa área organizacional, que é a área administrativa e contábil, que faz a orientação necessária, pois é de suma importância para a manutenção e crescimento dos empreendimentos”, frisou Gisleide Carneiro.
Leia matéria completa no site do MOC.
ENCONTRO DE MULHERES
ATER promove Encontro de Mulheres no Março Mulher
Foi realizado na sexta-feira (15) de março, um Encontro de Mulheres em virtude do Março Mulher, mês que celebrar e marca a luta e resistência das mulheres por direitos, igualdade e pela vida. Assim, reuniu-se mulheres das comunidades rurais do município Feira de Santana, que fazem parte da Chamada Pública de Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER) do MOC, executado na parceria com a COOPESER, com o apoio do Governo do Estado. A atividade aconteceu por meio de momento cultural na abertura, reflexão sobre os direitos, destacando o que as mulheres perdem com a questão da Reforma da Previdência Social e oficinas temáticas, tais como: Violência contra as mulheres, Mulheres na Agroecologia, Autoestima e Beleza, Estética e Bem-Estar Emocional e Empoderar-se para Empreender. A agricultora Dilma de Jesus (Comunidade Vila Feliz) relatou ter sido um dia maravilhoso, tanto no primeiro momento, como na oficina que participou. “Na oficina o que nos passou foi muito bom, de colocar em prática algumas ações, procurar fazer mais coisas e ser independente, não baixar a cabeça para ninguém. A gente tem que correr atrás dos nossos objetivos, crer e ter fé que vamos conseguir muita coisa”, contou Dilma.
Leia matéria completa no site do MOC.
Visite-nos nas redes sociais:
Facebook do MOC
Site do MOC
#2018MOCMaisde50anos
#PorUmSertaoJusto

21/03– Planejamento Institucional e Assembleia Geral do MOC – Feira de Santana;
25 a 27/03 – Planejamento Estratégico do CECA- Salavador
26 e 27/03 – Intercâmbio Cisternas – Feira de Santana –
28 e 29/03 Encontro de Coordenadores / Sensibilização do Baú de Leitura) – Feira de Santana
Mulheres de Araci participaram de Intercâmbio e Marcha Pela Vida das Mulheres e Pela Agroecologia no Polo da Borborema