pain addict -management__

Posted: October 23, 2016 in debate _, DIREITO _, s.pauta__

Article Image


Pain Management Should Soon Be Possible Without Fear of Addiction or Overdose  September 7, 2016
Philip Perry
Scientists Plan to Make Humanity an Intergalactic Specie
Study: Taking Risks May Be Helping Teens Learn Bette
<a TRAD GOOGLE
Os cientistas planejam fazer a Humanidade Intergalactic Specie
Pain Management Logo deveria ser possível sem medo de vício ou overdose
07 de setembro de 2016
por Philip Perry

Uma garrafa de analgésicos que derrama para fora.
Há uma epidemia acontecendo hoje você ficou sabendo quase nada sobre. No entanto, isso afeta cerca de 50 milhões de americanos, gemäß com o National Institutes of Health (NIH). Isso é mais do que aqueles diagnosticados com diabetes e câncer combinados. É uma epidemia de dor crônica e está em toda parte. dor de pesquisa não só é devastador para a pessoa e sua família, é, assim, a principal causa de incapacidade. Um maior número de casos coloca mais um fardo sobre o sistema de saúde e dificulta o crescimento econômico. Portanto, não é apenas a pessoa e seus parentes mais próximos que sofrem, mas a sociedade como um todo.
Infelizmente, as terapias não mudaram muito ao longo de cem anos ou mais, tão pouco se sabe realmente sobre o fenômeno da dor em si. Há realmente duas principais opções em termos de terapia. A primeira é não-esteróides anti-inflamatórios não esteróides (AINEs): tais como aspirina, ibuprofeno (Advil, Bayer), acetaminofeno (Tylenol) e naproxeno (Aleve). Existem fortes variedades de prescrição de síntese bem.
A segunda opção é analgésicos opióides. Derivado do ópio, os tipos mais comuns são prescritos morfina, OxyContin, Vicodin, Percocet, oxicodona, hidrocodona, e fentanil. Claro que existem muitos outros. Embora eficaz no curto prazo, 60% dos pacientes acham que a construção de uma tolerância impedir de forma significativa as horas extraordinárias tratamento. Infelizmente, 3-4 por cento dos americanos receber morfina ou um de seus derivados para gerir a dor severa ou crônica, de longo prazo.
Na carga da década, a aumentar no prescrição de opióides seguiu tendência ascendente da crise de dor. Quando tomado como prescrito, os opióides são seguros e eficazes. Mas como o corpo começa a construir uma tolerância, a dor tende a sangrar completamente. Muitas vezes, a dosagem O aumento não é recomendado passado um certo ponto. Terapias alternativas: como a acupuntura, tai chi, yoga e fisioterapia são geralmente proposto ao lado de opióides. Mesmo assim, os pacientes nem sempre encontrar opções de tese eficaz.

Colocar é a última tendência em therapes alternativos. Mas muitos de síntese não reduzir a dor significativamente o suficiente.
defensores da maconha medicinal têm sugerido terapia de cannabis ao lado de opióides. Alguns estudos descobriram que isso não aumenta o risco de dependência ou overdose, e de fato dá alívio da dor adicional. Na verdade, um estudo fora da Universidade de Michigan encontraram uma redução de 64% na utilização de opióides, quando a maconha médica que disponibilizado para pacientes com dor. Mas para muitos, esta opção pode não ser viável.
Para aqueles pacientes com sangramento através da dor, a motivação para tomar mais do que prescrito é grande. Embora eles podem encontrar alívio no curto prazo, o paciente em breve encontrar-se o aumento da dose, mais uma vez Quando a tolerância tem aumentado, e assim avançando cada vez mais estreita em direção a uma overdose. É através deste processo, e através de adolescentes e jovens adultos swiping pílulas de armários de medicina, dass die epidemia de opióides de prescrição tem tomado conta.
figueira_pessoa
A maconha medicinal pode ajudar. Mas não é uma opção viável para todos os pacientes para uma série de razões.
2,1 milhões em os EUA foram viciado em analgésicos prescritos em 2012 .De acordo com o NIH-os números mais recentes no registro. E as mortes por overdose aumentaram quatro vezes desde 1999. Ele está alimentando, assim, uma epidemia de heroína, como droga de rua é menos caro e mais facilmente disponíveis.
Big Pharma tem respondido através da oferta de opióides de libertação prolongada, em pelo tentativa de dar aos pacientes mais alívio e desencorajá-los a tomar mais do que o prescrito. Outras drogas têm características abuso-impedimento, cor: como pílulas um é incapaz de esmagar, e assim não pode cheirar ou utilizar por via intravenosa. No entanto, muitos vêem isso como uma solução tecnológica, colocando um Band-Aid para já problemas fora de controle. Então, ela não aborda a questão do sangramento através da dor.
Além de ser pouco compreendido, não bastante pesquisa é conduzida para saber mais sobre a dor crônica. Hoje, a corrida é para encontrar maneiras de superar os problemas tese, e entregar melhor alívio da dor para aqueles que estão sofrendo. Um novo estudo, publicado na revista Neuropsychopharmacology, foi localizado o mecanismo cerebral fez causas tolerância opióide. Os pesquisadores ainda desenvolveram uma forma de superá-lo.

Um kit de overdose de opiáceos. Estes são onipresentes agora em todo o país devido à epidemia de dependência de opiáceos.3b784-pai
Investigadores da Emory e Georgia State Universidades encontrado, pela primeira vez, como a tolerância à morfina acontece. Esta é uma resposta inflamatória desencadeada Quando mensageiros químicos chamados citocinas são liberadas dentro do cérebro. Ao bloquear citocinas, pesquisadores dizem que dor pode ser aliviada com morfina de forma consistente ao longo do tempo, em apenas metade da dosagem. Estes cientistas foram capazes de ilustrar como a resposta inflamatória ocorreu nos cérebros dos ratos, e fez citocinas bloqueio poderia prejudicar a tolerância.
O mecanismo para o acúmulo de tolerância funciona assim. Ao longo do tempo, morfina interfere com a homeostase, ou a capacidade do corpo para controlar as funções de uma maneira atempada e rítmico. Desde que deixou de reconhecer a dor, o corpo se move para livrar-se deste agente estrangeiro e restabelecer o equilíbrio dentro do sistema. Para fazer isso, desencadeia a resposta imune, que causa a conduzir o agente para fora usada-inflamação.
Outro lugar, a tolerância ocorre rapidamente. Uma dose por dia durante três dias foi o suficiente para fazer com que a resposta de tolerância para chutar Quando ratos receberam uma droga que bloqueou a inflamação, a tolerância à morfina caiu em .. Os pesquisadores concluíram o estudo, escrevendo, “Nossos resultados fornecem um novo alvo farmacológico para a prevenção da induzida por opióides imunológico sinalização, tolerância e dependência.”
Para saber mais sobre a prescrição epidemia analgésico, clique aqui:

A bottle of prescription painkillers spilling out.
</aThere is an epidemic going on today that you hear almost nothing about. Yet it effects around 50 million Americans, according to the National Institutes of Health (NIH). That’s more than those diagnosed with diabetes and cancer combined. It’s a chronic pain epidemic and it’s everywhere. Such pain is not only devastating for the person and their family, it is also the leading cause of disability. A higher number of cases puts more of a burden on the healthcare system and hampers economic growth. So it isn’t only the person and their closest kin who suffer, but society as a whole.
Unfortunately, therapies haven’t changed much over a hundred years or more, as little is really known about the phenomenon of pain itself. There are really two main options in terms of therapy. The first is non-steroidal anti-inflammatory drugs (NSAIDs) such as aspirin, ibuprofen (Advil, Bayer), acetaminophen (Tylenol), and naproxen (Aleve). There are stronger prescription varieties of these as well.
The second option is opioid painkillers. Derived from opium, the most common types prescribed are morphine, OxyContin, Vicodin, Percocet, oxycodone, hydrocodone, and fentanyl. Of course there are many others. Though effective in the short-term, 60% of patients find that building up a tolerance significantly impedes treatment over time. Unfortunately, three to four percent of Americans receive morphine or one of its derivatives to manage severe or chronic pain, long-term.
In the last decade, an increase in the prescribing of opioids has followed the pain crisis’s upward trend. When taken as prescribed, opioids are safe and effective. But as the body begins to build up a tolerance, pain tends to bleed through. Oftentimes, increasing dosage is not recommended past a certain point. Alternative therapies such as acupuncture, tai chi, yoga, and physical therapy are usually proposed alongside opioids. Even so, patients don’t always find these options effective.
Cupping is the latest trend in alternative therapes. But many of these don’t reduce pain significantly enough.
Medical marijuana advocates have suggested cannabis therapy alongside opioids. Some studies have found that it does not increase the risk of addiction or overdose, and in fact gives additional pain relief. In fact, one study out of the University of Michigan found a 64% reduction in opioid use, when medical marijuana was made available to pain patients. But for many, this option may not be viable.
For those patients with bleed through pain, the motivation to take more than prescribed is great. Though they may find relief in the near term, the patient will soon find themselves increasing dosage once again when tolerance has increased, and so inching ever closer toward an overdose. It is through this process, and through teens and young adults swiping pills from medicine cabinets, that the prescription opioid epidemic has taken hold.

Medical marijuana may help. But it’s not a viable option for all patients for a number of reasons.
2.1 million in the US were addicted to prescription painkillers in 2012, according to the NIH—the latest numbers on record. And overdose deaths have increased fourfold since 1999. It is also fueling a heroin epidemic, as the street drug is less expensive and more readily available.
Big pharma has responded by offering extended release opioids, in an attempt to give patients more relief and discourage them taking more than prescribed. Other drugs have abuse-deterrent features, such as pills one is unable to crush, and so cannot snort or use intravenously. Yet, many see this as a technological fix, putting a Band-Aid on an already out-of-control problem. Also, it does not address the issue of bleed through pain.
Besides being little understood, not enough research is conducted to learn more about chronic pain. Today, the race is on to find ways to overcome these problems, and deliver better pain relief to those who are suffering. One new study, published in the journal Neuropsychopharmacology, has located the brain mechanism that causes opioid tolerance. Researchers have even devised a way to overcome it.

An opioid overdose kit. These are ubiquitous now across the country due to the opioid addiction epidemic.
Investigators from Emory and Georgia State Universities found, for the first time, how morphine tolerance comes about. This is an inflammatory response triggered when chemical messengers called cytokines are released inside the brain. By blocking cytokines, researchers say pain could be relieved consistently with morphine over time, at only half the dosage. These scientists were able to illustrate how the inflammatory response occurred in rats’ brains, and that blocking cytokines could undermine tolerance.
The mechanism for tolerance buildup works like this. Over time, morphine interferes with homeostasis, or the body’s ability to manage functions in a rhythmic and timely manner. Since it no longer recognizes pain, the body moves to rid itself of this foreign agent and reestablish balance within the system. To do that, it triggers the immune response, which causes inflammation—used to drive the agent out.
Another find, tolerance occurs quickly. One dose each day for three days was enough to cause the tolerance response to kick in. When rats were given a drug that blocked inflammation, tolerance to morphine plummeted. Researchers concluded the study by writing, “Our findings provide a novel pharmacological target for the prevention of opioid-induced immune signaling, tolerance, and addiction.”
To learn more about the prescription painkiller epidemic click here:

Ed Ribeiro_caboclo encantado

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s