big brown

Posted: December 11, 2011 in jornalismo, José Bomfim_blog do brown

Mas nem tudo é ruim no campo da ética neste País.
Notícia ontem na imprensa mantém a esperança de quem torce por um Brasil melhor.
Numa decisão unânime a Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça (STJ) acatou a denúncia contra o desembargador do Tribunal de Justiça da Bahia Rubem Dário Pelegrino Cunha (na foto) e o filho dele, o advogado Nizan Gomes Cunha Neto, por corrupção passiva. Ou seja, receberam dinheiro sujo para praticar atos ilícitos.
E do outro lado quem estava? Quem era o autor da corrupção ativa? O ex-prefeito de São Francisco do Conde, Antônio Pascoal Batista.
Quando prefeito, Antônio Pascoal Batista, o desembargador Rubem Dário Pelegrino Cunha e o advogado Nizan Gomes Cunha Neto comandaram um esquema de vendas de sentenças.
O advogado-filho pegava a causa e o desembargador-pai retardava a decisão da ação penal, na qual o prefeito era réu. Fizeram isso várias vezes. A Prefeitura de São Francisco do Conde pagava em torno 400 mil reais por cada uma das ações e o Antônio Pascoal Batista mantinha o cargo e não ia para a cadeia. A denúncia foi do Ministério Público Federal
Na quarta-feira, 30 de novembro, o colegiado do STJ acompanhou o voto da ministra-relatora Eliana Calmon, que é corregedora nacional de Justiça e recentemente declarou que é preciso banir da vida pública os “bandidos de toga”.
O desembargador fica suspenso do Tribunal de Justiça da Bahia enquanto estiver tramitando a ação penal.
Há três anos o desembargador Rubem Dário Pelegrino Cunha está afastado de suas funções por determinação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), onde também tramita um processo administrativo contra ele.
Como nem tudo é perfeito, o desembargador continua recebendo seu salário: 22 mil reais por mês.
Veja o vídeo da sessão do Supremo Tribunal Federal (STF), que negou, no dia 02 de março de 2011, o Mandado de Segurança (MS 28306) de autoria do desembargador Rubem Dário Peregrino Cunha, afastado de suas funções no Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) por decisão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Ele responde por infrações funcionais e é acusado de exigir vantagem indevida em troca de decisões judiciais. Acompanhe o julgamento do caso.

E aí, presidente Dilma, fica com a Comissão de Ética ou com Lupi?

Durante o dia o pensamento comum entre os comentaristas políticos – pelo menos os que levam a sério a profissão de jornalista – era que Dilma Rousseff estava tendendo a desfazer a sua fama.
A desesperança se justificava devido, principalmente, ao comportamento da presidente em relação ao cara-de-pau Carlos Lupi, que ocupa o Ministério do Trabalho – e mais um sem número de empregos em casas legislativas e na direção do PDT, partido dele (Brizola, que fundou essa agremiação, deve estar se revirando no túmulo ao perceber com quem ficou o PDT).
Todo mundo se lembra que recentemente o notório Lupi disse numa entrevista coletiva que ama a presidente, lógico, com a intenção de permanecer titular do Ministério do Trabalho.
 sepois de várias reportagenn sobre as lambanças do ministro, opinião desfavorável a ele feita pela Procuradoria Geral da República, veio a recomendação da Comissão de Ética do próprio governo de que Lupi não tem moral, nem ética, nem competência técnica ou política para se manter no ministério.
E o que fez Dilma depois de tanta revelação sobre a vida-bandida de Lupi e as recomendações para se livrar dele? A presidente exigiu explicações pormenorizada da comissão.
Depois disso deve ter lido, assistido ou até visto pessoalmente as reações na imprensa. Talvez tenha refletido que perda política é questionar a Comissão de Ética e garantiu que na segunda-feira anunciará sua decisão, sempre (disse ela) pensando no melhor para o Brasil.
Vamos esperar para crer.
Independente disso, é preciso que a Nação participe mais – sei lá de que forma – da cobrança aos bandidos políticos. Eles fazem malfeitos (como gosta de dizer a presidente da República), mas a perda que sofrem é só do cargo, continuam aí como se honestos fossem. Quase todos, aliás, saem do governo sob aplausos e discursos benevolentes. Está na hora de ver essa gente cumprindo pena, como qualquer um que pega o que não lhe pertence.

http://www.youtube.com/watch?v=6jXjdCcAz2U&feature=player_embedded

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.